terça-feira, 12 de outubro de 2021

CONQUISTE O CORAÇÃO DE SEU FILHO: NOVE MANEIRAS DE CONSTRUIR UMA RELAÇÃO SAUDÁVEL E DURADOURA [Resenha 080/2021]


Culpa, frustração, tristeza, sentimento de impotência, medo e insegurança. Quem tem filhos provavelmente já experimentou alguma destas emoções. Pode ser pelo excesso de trabalho, pela falta de tempo ou consequência da inabilidade, quando tais sentimentos se somam à constatação de que o tempo passou rápido demais e a conexão ficou prejudicada, pai e mãe podem se sentir fracassados. Apesar da complexidade da experiência que é cuidar, amar e transmitir valores a uma criança e a um adolescente, nunca é tarde para se reinventar e reconectar. E é isso o que mostra o especialista em parentalidade e adoção Mike Berry, no livro Conquiste o coração de seu filho, lançamento da editora Mundo Cristão.

Pai de oito filhos adotivos, Mike escreve para dois públicos: pais e mães de crianças que estão na fase pré-escolar e nos anos iniciais do ensino fundamental, e para pais e mães de pré-adolescentes e adolescentes. Dentre vários insights, Mark esclarece que o alvo na criação dos filhos não deve ser ganhar discussões ou forçar opiniões, mas sim conquistar o coração dos jovens e dar atenção aos pequenos.

Para simplificar o processo de conquista ou reconquista, Mike traça nove princípios da parentalidade, cujo resultado visa ao fortalecimento dos laços:

1. Influencie combinando amor e disciplina. Acredite que você é uma influência na vida de seu filho; tenha em mente que o propósito de todo pai e de toda mãe é dar amor, estabelecer limites saudáveis e promover educação consistente, em qualquer fase.

2. Saiba o que é a grande guinada e acolha-a. A grande guinada refere-se àquele momento em que o filho já não idealiza a figura materna e paterna como na infância. De repente, essa pessoa que antes queria sua atenção exclusiva fica distante e temperamental. É nesse momento que você não pode se afastar ou se fechar. Sem ressentimentos, entenda o processo de crescimento e encontre pontos de conexão.

3. Busque outras vozes influentes. Ao passo que cresce e passa a ser influenciado por outras personalidades e pela cultura, ajude seu filho a escolher vozes responsáveis. Amplie a rede de relacionamento dele.

4. Use o tempo com sabedoria. A quem ou a que você está dedicando seu tempo? Sim, ele passa rápido. Aproveite os pequenos momentos para gerar afinidade e não espere apenas a grandes ocasiões.

5. Mantenha-se comprometido. Passe tempo com seu filho e evite distrações. Crie programas especiais. Aumente o tempo de qualidade.

6. Seja consistente. A consistência promoverá confiança, mesmo quando o que você reafirma regularmente não é facilmente aceito e compreendido.

7. Ame a despeito de qualquer coisa. Como você reage quando seu filho erra? Ama, passa sermão ou humilha? Você ama incondicionalmente ou deixa seu amor no modo de espera? Seu filho percebe sua afeição a ele.

8. Dê atenção ao que é verdadeiro a seu respeito como pai ou mãe. Não caia na armadilha da comparação, prendendo-se na realidade de outros pais e mães ou em algum padrão amplamente difundido. Não permita que comparações tirem sua versatilidade.

9. Deixe um legado duradouro. Que história representa o intervalo entre seu nascimento e sua morte? Você serviu de exemplo para seus descendentes? Que tipo de legado deixará quando for embora? Pense nisso.

Conquiste o coração de seu filho foi escrito para auxiliá-lo nessa desafiadora tarefa de educar filhos. Na primeira das três partes do livro, o autor discute a visão equivocada do que significa ser pai ou mãe. Na segunda, apresenta nove dicas para você ampliar sua influência sobre seu filho e, na terceira parte, ele analisa as características de um relacionamento duradouro, levando em conta como se inicia e como se pode preservá-lo.
____
BERRY, Mike. Conquiste o coração de seu filho: Nove maneiras de construir uma relação saudável e duradoura. São Paulo, SP: Mundo Cristão, 2021. 224p.

Publicado originalmente
https://lcagencia.com.br/9-dicas-para-conquistar-o-coracao-do-seu-filho/

segunda-feira, 4 de outubro de 2021

BIBLIOQUÍMICA: EVIDÊNCIAS DAS CIENCIAS BIOMÉDICAS NA BÍBLIA [Resenha 079/2021]


Ao longo das páginas dos capítulos desta obra, o leitor perceberá que está diante de uma grande lente de aumento sobre as evidências de que a mão de Deus está em todo o conhecimento gerado pelas pesquisas dos cientistas, em concordância com o que está descrito nas páginas dos cientistas, em concordância com o que está descrito nas páginas do Livro da Vida. A leitura desta obra inédita nos leva a refletir sobre a nossa origem, nossa vida, nosso universo e nosso papel nesta vida. Portanto, convido mesmo aqueles que ainda não acreditam na existência de um ser Supremo que comanda o universo, que nos criou e que tem ao seu lado o seu filho Jesus Cristo, o qual pagou na cruz pelos nossos pecados, a lerem essa magnífica, contagiante e reveladora.

Muitas das evidências da Bioquímica e da Medicina contemporânea estão completamente de acordo com que a Bíblia já apresenta. Definitivamente a Bíblia jamais pertencerá ao grupo de livros obsoletos. Por mais “moderna” que pareça a ciência, você perceberá através dos estudos aqui apresentado com uma linguagem clara, sem rodeios; os principais temas científicos comparados e apontados na Palavra. A Humanidade precisa tanto da Bíblia e da ciência multiplicada para melhor entender tudo que o que já foi criado por Deus – fonte de toda ciência e saber.

Com sabedoria, conhecimento de causa, além de uma linguagem dinâmica, rica e muito atual, o autor nos expõe fatos bíblicos que, apesar de não terem sido declarados nos moldes clássicos científicos, estão completamente de acordo com muitas evidências contemporâneas da Bioquímica e da Medicina.

Apesar da Bíblia não ser um livro científico, concordo com uma afirmação feita há mais de 100 anos por um médico e farmacologista britânico (Thomas Lauder Brunton) e o educador norte americano Andrew Dickson White, co-fundador da Universidade de Cornell nos Estados Unidos (1865): “A Bíblia está repleta de diversas verdades cientificas”.

Nos oito capítulos deste livro, serão apresentados às implicações da bioquímica e da medicina descritas na Bíblia e a sua relevância para a ciência biológica e médica moderna, através de comparações teórico-práticas atuais. “A humanidade precisa tanto da Bíblia como da ciência multiplicada para entender melhor tudo o que foi criado por Deus — fonte de toda ciência e saber. É preciso examinar as Escrituras”, finaliza Thiago de Melo.
____
PEREIRA, Thiago de Melo Costa Pereira. Biblioquímica: Evidências das ciências biomédicas na Bíblia. Curitiba, PR: A. D Santos Editora, 2013. 248p.

quarta-feira, 29 de setembro de 2021

EQUIPES DE MINISTÉRIO QUE MUDAM O MUNDO: OITO CARACTERÍSTICAS DE UMA EQUIPE DE ALTO RENDIMENTO [Resenha 078/2021]


Trabalho em equipe. Um desafio? Fardo? Bênção? Alívio? Provavelmente um pouco de tudo! Se você já tem uma equipe e quiser melhorá-la, este livro é para você.

Através de Peter Wagner, Lida Knight, Armando Bispo e André Bessa da Rede Ministerial e Ekklesia, Christian Swartz, o livro de minha autoria sobre dons, equipes de ministério, e congêneres, o Espírito Santo tem claramente trazido à Igreja Brasileira uma visão de que cada membro deve atuar como um ministro, usando seus dons para a glória de Deus. O melhor treinamento simples de um dia que eu conheço sobre o assunto é a Clínica da Rede Ministerial, da Ekklesia. Isso já se tornou comum no Brasil, ministrado por muitos pastores em muitos contextos. Recomendo que cada igreja faça essa clínica para poder aproveitar melhor este livro.

Essa Clínica, como também os livros dos autores indicados acima e na bibliografia comentada, levará as pessoas a conhecerem melhor os dons que têm e muitas vezes também a conhecer algo sobre o seu chamado ou paixão. Ao mesmo tempo, não responde a uma grande pergunta: como formar equipes de ministério? O MAPI responde a isso no seu Treinamento Básico na Formação de Equipes de Ministério, feito num final de semana na igreja local. Mais informações sobre estes seminários e outros recursos nestas áreas encontram-se em nosso site: www.mapi-sepal.org.br.

Este livro é para pessoas que trabalham na mesma equipe a pelo menos seis meses e querem melhorar seu impacto e alegria no ministério. Ajudará se tiverem feito os treinamentos indicados acima, mas não é indispensável.

Muito do que segue foi adaptado do material do “Team Resources, Inc.” Eles indicam seis características de uma equipe de alto rendimento. Eu acrescentei mais duas: 1) orientação e unção divina e 2) treinamento formativo.

Na introdução descrevemos estas oito características e colocamos um questionário semelhante aos apresentados em muitos livros sobre dons; só que desta vez direcionado não ao descobrimento dos dons e sim ao funcionamento de uma equipe. Baseado nisso, cada equipe pode descobrir quais são os seus pontos fortes e quais os fracos.

A equipe, então, escolhe trabalhar de forma focalizada na área onde percebe que a melhora levaria a mudanças significativas. O ideal é escolher apenas uma área de cada vez, entendendo que é difícil mudar muitas coisas ao mesmo tempo. Se a equipe tiver tempo e interesse, poderá escolher, também, uma segunda área para trabalhar.

Este livro terá dois tipos de leitores: 1) equipes que usam o livro da forma indicada aqui que irão diretamente do capítulo introdutório para o capítulo que trata da área na qual querem melhorar; e 2) os que querem conhecer o livro de forma geral que o lerão de capa a capa. Isto levanta um problema. Alguns conceitos importantes são elementos chaves em mais que uma das oito características de uma equipe de alto rendimento. Precisam aparecer em cada capítulo, especialmente para o leitor que irá apenas diretamente para aquilo, sem ler os outros. Nesse caso coloquei notas que indicam um “link” para o outro capítulo. Aquele que ler o livro completo, encontrará alguns assuntos repetidos, ainda que tratados com um foco diferente. Isto complica um pouco a leitura, mas não encontrei uma saída, já que em outros casos uma equipe irá ler apenas o capítulo focalizando a área que quer desenvolver e precisaria ter uma discussão desse assunto ali.

Este livro servirá à equipe através dos anos. Inicialmente, pode ser a base para um retiro da equipe; depois pode ser usado a cada ano ou dois anos, especialmente se houver mudança nos componentes ou no nível de funcionamento dela. Cada vez que ela quiser se avaliar, poderá repetir o exercício do questionário e voltar a trabalhar as áreas que surgirem como as mais importantes para mudarem naquele momento. Ainda que a equipe chegue a um nível de alto rendimento numa dada época, nada garante que vá continuar dessa forma. Este livro e o questionário permitem uma avaliação periódica desse rendimento e um tratamento em qualquer área que a equipe sentir necessário.

O livro pode ser usado por uma equipe missionária, paraeclesiástica ou extra-local; uma equipe pastoral ou qualquer equipe de ministério na igreja local. Para igrejas que continuam com departamentos ao invés de equipes, pode ser usado num departamento, especialmente se as pessoas têm andado juntas o suficiente para ter alguma base para se avaliar e então melhorar sua produtividade.

Este livro é uma ferramenta de ensino autodidata que funciona sem um professor, levando o leitor a interagir com o texto e assim avançar em seu conhecimento e habilidade. O livro pretende provocar reflexão e ação. Isto pode ser facilitado por um líder ou instrutor, ao mesmo tempo que o líder4 de uma equipe pode assumir esse papel com as orientações simples no Apêndice 1.

O número ideal para que cada um possa compartilhar sua perspectiva e contribuir para o melhoramento da equipe é de quatro a seis pessoas. 

Este livro já foi a base de mudanças maravilhosas nas equipes com as quais eu trabalho mais diretamente. Espero que você seja tão encorajado e fortalecido como nós. Que você e sua equipe possam experimentar as maravilhosas verdades destes dois trechos de Efésios:

“Cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, de quem todo o Corpo [e toda a equipe], ajustado e unido pelo auxílio de todas as juntas, cresce e edifica-se a si mesmo em amor, na medida em que cada parte realiza a sua função” (Ef 4.15a, 16).

“Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós, a ele seja a glória na igreja [e em nossa equipe] e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre! Amém!” (Ef 3.20, 21).

Prefácio da obra escrito pelo autor.
______
KORNFIELD, David. Equipes de ministério que mudam o mundo: oito características de uma equipe de alto rendimento. Curitiba, PR. Editora Betânia, 2021. 256p.

segunda-feira, 27 de setembro de 2021

A CORRIDA DA FÉ: ENCONTRE EM DEUS GRAÇA E FORÇA PARA PERSEVERAR [Resenha 077/2021]


A corrida é uma metáfora bastante apropriada para a vida cristã. E não são poucos os momentos em que nossa jornada mais se parece com uma corrida de obstáculos. Tantos são os desapontamentos, os desafios e os contratempos que apenas a graça e a misericórdia de Deus nos permitem superá-los.

Como em toda corrida, perseverança é essencial. Sozinhos, no entanto, não conseguiremos realizar a difícil tarefa de manter o foco. A boa notícia é que Deus prometeu completar a boa obra em nós, e ele cumprirá sua promessa, como o fez na vida de uma multidão de testemunhas apresentadas nas Escrituras.

Trillia é escritora, palestrante e diretora de projetos comunitários da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa da Convenção Batista do Sul dos Estados Unidos. Além disso, é apreciadora do atletismo: já foi campeã estadual de corrida, deu aulas em academias, treinou preparadores físicos e chegou a ser proprietária de um pequeno estúdio de ginástica. Tais conhecimentos e vivências tornam seu texto profundamente interessante, rico em analogias e gostoso de ler.

Por meio de seu livro, Trillia convida o leitor a aprofundar a comunhão com Deus e a implementar disciplinas espirituais, como oração, jejum e leitura da Palavra, a fim de manter o vigor e a constância. Repleto de verdades bíblicas e dicas práticas, mostra como é possível desfrutar dos recursos que Deus disponibiliza para jornada e desfazer-se de todo embaraço que atrapalha o progresso e rouba a satisfação.

"Neste livro, exploro a importância da perseverança e também a graça que nos está disponível, os desafios que enfrentamos, a busca da santidade e o prêmio que ansiamos alcançar. Você lerá relatos sobre a vida cristã — às vezes histórias de sucesso, às vezes de luta — e sobre o que é resistir e manter-se motivado a seguir rumo a Jesus." (A corrida da fé, p. 19).

O livro possui doze capítulos e um apêndice intitulado “E o que dizer daqueles que não perseveram até o fim?” A cada capítulo de “A corrida da fé”, o leitor aprenderá que nunca é tarde para recomeçar. Cativante e inspirador, o livro traz uma dose substancial de princípios cristãos para ter sempre à mão quando se faz necessário um novo fôlego para seguir destemidamente sem perder a perspectiva da vitória. Este livro o ajudará a encontrar o encorajamento e a esperança necessários para percorrer, bem preparado, a jornada à sua frente.
___
NEWBELL, Trillia J. A corrida da fé: encontre em Deus graça e força para perseverar. São Paulo, SP: Mundo Cristão, 2021. 208p.

sexta-feira, 24 de setembro de 2021

O HEREGE GLORIOSO & TRÊS HOMENS CHEGARAM A HEIDELBERG [Resenha 076/2021]



A presente obra é constituída por duas das mais belas histórias de coragem, perseverança, amor e fidelidade a Deus. Elas aconteceram em contextos diferentes, mas suas origens remontam à Reforma Protestante do século XVI. Elas relatam o pano de fundo geral e as circunstâncias sob as quais dois importantes símbolos de fé foram elaborados e aceitos como documentos confessionais das igrejas de Cristo. Tratam-se da Confissão de Fé Belga e do Catecismo de Heidelberg. Embora possuam estruturas, características e propósitos diferentes, esses documentos foram escritos para resumir as santas doutrinas encontradas na Palavra de Deus, e cada um deles demonstra, de modo singular, quão belas, perfeitas, simples e sublimes são as verdades do evangelho.

A Confissão Belga, como é mundialmente conhecida, foi escrita em 1561, na região dos Países Baixos, pelo pastor reformado Guido de Brès, que foi martirizado por causa da sua fé no ano de 1567. Portanto, a Confissão Belga tem o mérito de ser uma confissão de fé reformada escrita por um mártir. O Catecismo de Heidelberg, por sua vez, foi escrito (como o próprio nome diz) na cidade alemã de Heidelberg, por dois talentosos jovens teólogos que foram alunos de João Calvino: Zacarias Ursino e Gaspar Oleviano.

Os livros Três Homens chegaram a Heidelberg e O Herege Glorioso são, portanto, as histórias que estão por trás do Catecismo de Heidelberg e da Confissão Belga, respectivamente. Cada uma delas tem uma peculiaridade. Enquanto o enredo da história contada em O Herege Glorioso gira em torno da vida de Guido de Brès, o enredo do Três Homens chegaram a Heidelberg gira em torno dos fatos históricos que marcaram a vida de um príncipe piedoso, de um pregador eloquente e de um habilidoso professor de teologia que, pela providência de Deus, se encontraram em Heidelberg.

Neste livro temos uma descrição de importantes eventos relacionados ao contexto histórico que, de certa forma, contribuíram para que esses símbolos de fé pudessem ser escritos. Além do já mencionado, este livro contém dois relevantes apêndices. O primeiro, intitulado “Um Mártir da Reforma Consola a Sua Esposa”, trata-se de uma carta escrita por Guido de Brès à sua querida e amada esposa Catarina Ramon, poucos dias antes de seu martírio. O segundo apêndice, cujo título é “O Martírio de Guido de Brès”, é um excerto de uma carta de uma testemunha ocular do martírio de Guido de Brès.
________
VAN HALSEMA, Thea. O Herege Glorioso & Três Homens Chegaram a Heidelberg. Recife, PE. 2017. 152p.

segunda-feira, 20 de setembro de 2021

INVISIVEIS: COMO O AMOR NOS ABRE OS OLHOS PARA PESSOAS MARGINALIZADAS [Resenha 075/2021]


Quase 222 mil brasileiros vivem nas ruas. Uma população que cresceu mais de 140% desde 2012 segundo recente pesquisa do IPEA e, com a crise acentuada da Covid-19, tende a se agravar no contexto pós-pandêmico. A dura realidade é que esses homens, mulheres e crianças passam despercebidos. Eles estão presentes nas ruas das médias e das grandes cidades do Brasil. Um contingente populacional desassistido cujo número, embora crescente, torna-se invisível aos nossos olhos. E não nos importamos com o que não vemos, seja pela correria diária ou a insensibilidade fundamentada na falta de informação ou na concepção de estereótipos que despersonalizam essa parcela da população.

É com o intuito de gerar reflexão sobre o assunto, humanizar e tornar visíveis os moradores em situação de rua que Terence Lester, ativista negro, fundador e diretor executivo da Love Beyond Walls – organização dedicada ao cuidado de moradores em situação de rua e marginalizados em geral –, escreveu o livro Invisíveis: Como o amor nos abre os olhos para pessoas marginalizadas. O autor, tem os olhos focados na população de rua dos Estados Unidos, a qual, como ocorre por aqui, também tem se ampliado substancialmente. Seu amor por Jesus e sua compaixão pelos pobres o motivaram a experimentar a vida indigna a que estão submetidos. De sua experiência brota um aprendizado compartilhado nesta obra que nos ajuda a desconstruir conceitos equivocados e preconceituosos sobre os que vivem na miséria.

“É necessário ouvir as histórias daqueles que vivenciam essas realidades: as crianças nascidas nas ruas, pessoas que perdem tudo por causa do falecimento de um ente querido ou em razão de problemas de saúde inesperados, jovens nas ruas em decorrência da instabilidade de suas famílias ou porque se identificam com a comunidade LGBTQ+, mulheres que tentam escapar de violência doméstica e pessoas que perderam um emprego com bom salário.” (Invisíveis, p. 19)

Ao longo de dez capítulos, o autor cria um pano de fundo humanizado e factual, para que o leitor entenda a complexidade de temas como a pobreza e a situação de rua. A cada novo insight desta ampla investigação, Terence contribui de modo inovador para a desconstrução de crenças equivocadas em torno do assunto para que a pobreza seja enxergada com novos olhos, apresentando maneiras efetivas e comprovadas de tratar da pobreza na prática. Longe de desafiar o leitor a fazer caridade, o escritor o convida a ressignificar a própria existência, assumindo o serviço como um estilo de vida.
_____
LESTER, Terence. Invisíveis: como o amor nos abre os olhos para pessoas marginalizadas. São Paulo, SP: Mundo Cristão, 2021. 208p.

sábado, 18 de setembro de 2021

OS ATRIBUTOS DE DEUS [Resenha 074/2021]


Nos dias atuais, a Igreja tem perdido o senso da majestade e sublimidade do glorioso Deus das Escrituras – e isso de um modo geral. Essa perda tem acontecido quase imperceptivelmente. Verdade é que o cristianismo moderno não está produzindo pessoas tementes a Deus, pessoas que entendam a experiência do profeta Isaías quando disse: "Ai de mim, que vou perecendo! Porque sou um homem de lábios impuros..." ou do rei Salomão quando exclamou: "Ó Senhor Deus de Israel, não há Deus como tu, em cima nos céus nem embaixo na terra".

O profeta Jeremias escreveu: "Une-te pois a ele, e tem paz, e assim te sobrevirá o bem” (Jó 22:21). "Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas. Mas o que se gloriar glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o Senhor..." (Jeremias 9:23- 24).

Este livro é uma tentativa de trazer de volta o povo de Deus para aquela apreciação da gloriosa pessoa de Deus que levou o renomado Spurgeon a dizer: "A ciência mais elevada, ou a inquirição mais sublime, ou a sabedoria mais importante que possa ser contemplada pelo verdadeiro cristão é o nome, a natureza, a pessoa, a obra e a existência do grande Deus a quem chamamos Pai.

Um conhecimento salvador e espiritual de Deus é a maior de todas as necessidades de cada criatura humana. O fundamento de todo conhecimento verdadeiro de Deus só pode ser a clara compreensão mental de Suas perfeições, segundo revelam as Escrituras Sagradas. Não nos é possível servir nem adorar a um Deus desconhecido, nem depositar nEle a nossa confiança.

Necessitamos algo mais que um conhecimento teórico de Deus. Só conhecemos verdadeiramente a Deus em nossa alma, quando nos rendemos a Ele, quando nos submetemos à Sua autoridade e quando os Seus preceitos e mandamentos regulam todos os pormenores da nossa vida. "Conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor..." (Oséias 6:3), "Se alguém quiser fazer a vontade dele... conhecerá" (João 7:17). "... o povo que conhece ao seu Deus se esforçará e fará proezas" (Daniel 11:32).

O livro possui 17 capítulos. Cada capítulo é dedicado a um atributo divino. Os capítulos que se seguem apareceram pela primeira vez na revista mensal "Studies in the Scriptures" (Estudos nas Escrituras), publicada pelo autor e totalmente dedicada à exposição da Palavra de Deus e à provisão de alimento espiritual para almas famintas.

Não existe alegria e privilégio maior na vida do que contemplar a glória de Deus. Os céus estarão gozando da glória de Deus por toda a eternidade – e nós podemos começar agora. Porém se quisermos ver a glória de Deus, devemos estudar Seus atributos.
_____
PINK, A W. Os Atributos de Deus. São Paulo, SP: Publicações Evangélicas Selecionadas, 2016. 160p.

quinta-feira, 16 de setembro de 2021

QUANDO FOI QUE COMEÇAMOS A NOS ESQUECER DE DEUS? RAIZES DA CRISE EVANGÉLICA E ESPERANÇA PARA O FUTURO. [Resenha 073/2021]


Mark Galli, ex-editor geral da prestigiada revista americana Christianity Today assistiu de perto toda a transformação da igreja evangélica nos Estados Unidos. Passaram por suas mãos notícias de milagres e escândalos, relatos de fé extraordinária, mas também de corrupção inacreditável, histórias inspiradoras e denúncias. Nessa delicada incumbência, percebeu que diversas alas da igreja começavam a expor e defender suas visões particulares da interpretação bíblica, da política e da teologia de maneira excludente. O que ele viu o deixou atordoado.

Antes de ser uma peculiaridade da igreja, Mark Galli detectou a crise em si próprio ao perceber que era possível continuar a ser cristão e fazer o que se espera de um seguidor de Jesus, mesmo sem de fato crer em Deus e viver sob a dependência dele. Agindo de forma mecânica, ainda que eficiente, Mark Galli constatou que Deus havia deixado gradativamente de fazer parte da equação de sua vida, como também ocorria com a igreja evangélica de seu país, aprofundando assim uma crise que se arrasta há anos. Por fim, após recuperar-se, decidiu escrever Quando foi que começamos a nos esquecer de Deus?: Raízes da crise evangélica e esperança para o futuro, obra lançada nos Estados Unidos em abril de 2020 e que chega ao Brasil pela Editora Mundo Cristão no início do segundo semestre de 2021.

Em uma das épocas mais divisórias e polarizadoras da sociedade, Mark sinaliza que os evangélicos enfrentam uma profunda crise de confiança. Uma crise que tem muitas dimensões e cujas raízes permeiam as esferas política, bíblica e teológica, bem como práticas de formação espiritual e discipulado. Tendo em perspectiva um amplo arcabouço histórico, encoraja o leitor a dar uma olhada longa e rigorosa no que está faltando na espiritualidade cristã evangélica de nossos dias e a refletir sobre a prioridade final do corpo de Cristo.

Indicado a todo leitor que deseja entender os desafios da igreja evangélica de nosso tempo, a estudantes de teologia, pastores e líderes eclesiásticos, é fonte de informação qualificada que permite um reajuste de rota e a troca das banalidades da religião pela centralidade de Deus na vida individual e coletiva, num movimento de volta ao Criador.

O livro possui vinte capítulos distribuídos em três partes: Parte 1 – A Crise; Parte 2 – A Igreja e Parte 3 – Aprofundando o desejo. Investigação de grande valia também para os que se preocupam com os rumos da igreja evangélica brasileira — pois não são poucas as semelhanças no diagnóstico atual do estado da igreja no Brasil — Quando foi que começamos a nos esquecer de Deus? traz princípios para que os cristãos retomem a autenticidade cristocêntrica da igreja, sua identidade e propósito.
______
GALLI, Mark. Quando foi que começamos a nos esquecer de Deus? Raízes da crise evangélica e esperança para o futuro. São Paulo, SP: Mundo Cristão, 2021. 240p.

sexta-feira, 10 de setembro de 2021

O PENSAMENTO DO ANTIGO ORIENTE PRÓXIMO E O ANTIGO TESTAMENTO: INTRODUÇÃO AO MUNDO CONCEITUAL DA BÍBLIA HEBRAICA [ Resenha 072/21]


É um livro que deve ser lido por aqueles que desejam entender como a Bíblia hebraica chegou à sua concepção da divindade e forjou uma linguagem que ainda fala a muitos. O autor apresenta as principais características da literatura produzida no antigo Oriente Próximo e esclarece como Israel moldou seus ensinamentos a partir dessa produção cultural ou em oposição a ela.

Walton guia o leitor em uma viagem pelo mundo da Bíblia Hebraica e faz com que os textos antigos ganhem vida. Tudo que realmente importa sobre o assunto está nessa clássica e inigualável introdução à cultura do antigo Oriente Próximo

Walton vai além do academicismo e mantém um objetivo prático ao longo da obra: ajudar seus leitores a aperfeiçoar a exegese do Antigo Testamento com base em informações do mundo antigo. Com dezenas de ilustrações e quadros com análises comparativas, Pensamento do antigo Oriente Próximo é um recurso indispensável para todos que desejam estudar e expor o texto bíblico fielmente.

Pensamento do antigo Oriente Próximo é uma ferramenta muito bem vinda para quem estuda a Bíblia e sua relação com o seu contexto cultural. Walton compara como Israel e seus povos vizinhos pensavam sobre religião, literatura, antropologia e outros assuntos, e assim descreve os aspectos mais importantes da vida intelectual do mundo antigo, no qual povo de Deus estava inserido.

Essa é uma leitura obrigatória para quem deseja estudar o Antigo Testamento. John Walton empregou toda sua experiência nesse excelente estudo sobre a interface entre o antigo Oriente Próximo e Israel e estabeleceu – especialmente em sua seção introdutória sobre estudos comparados – o paradigma para compreensão do mundo conceitual da Bíblia hebraica. Destaco também os quadros de análises comparativas, que permitem aos leitores localizarem rapidamente o tema sobre o qual desejam se aprofundar. Esse é um livro acessível, mas também acadêmico. Assim, tanto seminaristas quanto público em geral aproveitarão esse material valioso.
______
WALTON, John H. O pensamento do antigo Oriente Próximo e o Antigo Testamento: Introdução ao mundo conceitual da Bíblia Hebraica. São Paulo, SP: Vida Nova, 2021. 416p.

terça-feira, 7 de setembro de 2021

ORGANIZE SUA DESORDEM MENTAL: 5 PASSOS SIMPLES E CIENTIFICAMENTE COMPROVADOS PARA REDUZIR A ANSIEDADE, O ESTRESSE E O PENSAMENTO TÓXICO [Resenha 071/21]


Você já teve a sensação de que seu cérebro estava “desativado”? Já se sentiu desencorajado, sem foco ou sobrecarregado? Existem tendências nocivas em sua vida ou em sua família que aparentemente você não consegue interromper? Você começa o dia exausto e deprimido? Está ansioso quanto ao futuro? É perseguido pelo passado? Sente-se perdido e em dúvida?

Se você respondeu “sim” a uma dessas perguntas, não está sozinho. Mais e mais pessoas estão sofrendo de ansiedade, depressão e esgotamento mental. Isso, porém, não significa que exista algo errado com você ou que você sofra de alguma doença mental. A ansiedade, a depressão e o estresse pós-traumático são todos meios para descrever as reações humanas naturais à adversidade e às experiências de vida. E todos nós enfrentamos adversidade de formas diferentes: eventos e circunstâncias difíceis fazem parte da existência moderna tanto quanto da história humana.

Chamar essas reações mentais e emocionais de doenças não abrange todo o seu significado. Ansiedade, depressão, esgotamento mental, frustração, angústia, raiva, desgosto e assim por diante são sinais físicos de alerta que nos dizem que precisamos enfrentar algo que aconteceu ou está acontecendo em nossa vida e lidar com o problema. Esse sofrimento, que é muito real, sinaliza que algo está errado: você se encontra em estado de desequilíbrio. Não é um sinal de deficiência cerebral. Sua experiência não precisa ser comprovada por meio de um diagnóstico médico. As lutas das doenças mentais não fazem parte de sua identidade. São normais e precisam ser tratadas, não reprimidas, ou a situação piorará.

Neste livro, a autora aplica o método simples, prático, cientificamente pesquisado e clinicamente aplicado dos 5 Passos do Neurociclo às questões da ansiedade, do estresse e do pensamento tóxico. Também fala de como aprender a fortalecer a saúde do cérebro e da mente e a resiliência. Você descobrirá que os 5 Passos são sustentáveis porque o ajudarão a usar sua mente e doenças causadas por estilo de vida que poderiam ser evitadas. Há uma necessidade premente de mudar o modo como consideramos o cuidado com a saúde, inclusive a saúde mental.

O livro, além do prefácio, possui quatorze capítulo dividido em duas partes. Parte 1 – O porquê e o como, onde a autora analisa o que a mente é, o que acontece quando não a usamos corretamente e por que a utilização dos 5 Passos para gerenciar a mente é a solução para organizar nossa desordem mental. Parte 2 – A Aplicação prática do Neurociclo, onde temos o plano clinicamente aplicado e cientificamente pesquisado do gerenciamento mental.
_____
LEAF, Caroline. Organize sua desordem mental: 5 passos simples e cientificamente comprovados para reduzir a ansiedade, o estresse e o pensamento tóxico. São Paulo, SP: Editora Hábito, 2021.

segunda-feira, 6 de setembro de 2021

HULRICH ZWINGLI: A ORIGEM INTELECTUAL DA REFORMA SUÍÇA [Resenha 070/21]


Há autores que são conhecidos, mas nunca lidos. Este é o infeliz caso de Zwingli. O problema é que não temos publicado no Brasil nenhuma obra do reformador. È impossível falar de história da Reforma sem que seu nome seja mencionado entre Lutero e Calvino. Todavia, os seus escritos permanecem inacessíveis aos leitores de língua portuguesa. Este livro possibilita a leitura de algumas obras do reformador suíço-alemão. Entretanto, não pense que você tem em mãos apenas traduções dos textos originais, mas o desafio de redescobrir o seu pensamento a partir de seu contexto vivencial é facilitado com a sugestão de uma ampla bibliografia.

Zwingli exerceu como reformador múltiplos chamados para eficientemente realizar seu programa de Reforma. Um contínuo estudioso das Escrituras, da filosofia e teologia: um dedicado filólogo, em especial do grego do Novo Testamento; um humanista cristão preocupado com os problemas da sociedade e da educação; um engajado político nos debates do Conselho maior de Zurique e na resistência às ações intervencionistas da Igreja Romana; e, por fim, um fiel pastor da condução do rebanho que, segundo sua convicção, Deus lhe confira cuidar.

De acordo com o prefácio, o livro está estruturado da seguinte forma: primeiro, vem os “artigos com as 67 conclusões” de 1523. São 67 artigos e conclusões sobre o evangelho. Na sequência vem “A Breve Instrução Cristã”, também de 1523. Trata-se de instruções extraídas das Sagradas Escrituras e dirigidas aos pastores e pregadores. Em terceiro lugar vem “A maneira observada na pregação”, texto de 1523. É um sucinto diretório para o culto cristão. Em quarto lugar, vem “As dez teses de Berna” de 1528, que são um produto de debate público entre pregadores protestantes e alguns bispos católicos. Em quinto lugar, vem a monumental “Exposição da Fé” de 1531. Esta exposição foi remetida ao Rei Francisco da França. Este livro traz ainda cinco anexos que são importantes.
_____
TOKASHIKI, Ewerton B. Hulrich Zwingli: A origem intelectual da reforma Suíça. Eusébio, CE: Editora Peregrino, 2021. 252p.

terça-feira, 31 de agosto de 2021

BIBLIA COM COMENTÁRIOS DE ANTONIO GILBERTO [Resenha 069/21]


Nesta bíblia você terá acesso as principais as anotações e estudos que o saudoso pastor Antonio Gilberto elaborou ao longo de sua vida ministerial como pastor, professor, teólogo, escritor e comentarista das lições de escola dominical.

Embora estas anotações não tenham sido elaboradas por ele com o objetivo de virem a se tornar uma Bíblia de Estudo, são numerosas o suficiente para enriquecer a leitura e o estudo de todos aqueles que queriam se aprofundar no entendimento do texto sagrado.

A CPAD propôs ao pastor Antonio Gilberto produzir uma Bíblia onde a produção intelectual de sua vida pudesse ser incorporada e ele, de bom grado, deu total acesso à CPAD às suas anotações pessoais, às quais se somaram tudo aquilo que já se publicou de sua lavra, como livros, artigos e lições de escola dominical.

De posse deste vasto conteúdo, coube à CPAD fazer o trabalho de coleta, catalogação, sistematização e, por fim, de formatação em diversas seções ao longo do texto bíblico, a fim de que o leitor possa ter acesso ao entendimento que o pastor Antonio Gilberto tinha acerca de cada versículo ou assunto lido.

Nesta Bíblia o leitor encontrará: Biografia de Antonio Gilberto. Síntese de cada livro da Bíblia com: Análise do título, Informações do autor, Esfera de ação do livro, Divisão do livro, Seções com tópicos temáticos, Estudos doutrinários, Estudos temáticos, Comentários e Esboços.

Pastor Antônio Gilberto, é uma das maiores referências em Ministério Pastoral da Igreja Assembleia de Deus. Foi consultor doutrinário da CPAD e membro da Casa de Letras Emílio Conde. Em seu currículo, ele coleciona títulos de mestrado em Teologia e graduação em Psicologia, Pedagogia e Letras. Conhecido por sua vasta atuação no ensino da Palavra de Deus, Pastor Antônio é uma referência na literatura cristã. É autor de vários livros que abordam questões básicas do cristianismo na igreja. Todas publicadas pela CPAD. A obra “Manual de Escola Dominical” teve mais de 200 mil exemplares vendidos.
____
GILBERTO, Antônio. Bíblia com comentários de Antonio Gilberto. Rio de Janeiro, RJ: CPAD, 2021. 2464p.

sexta-feira, 20 de agosto de 2021

REINICIE O SEU CORAÇÃO: 21 DIAS PARA VOCÊ APRENDER A AMAR COMO SE NUNCA TIVESSE SIDO FERIDO [Resenha 068/21]


É tempo de reiniciar o seu coração. Muitos desafios da vida e pessoas desafiadoras têm enchido nossa mente de dúvidas, frustração e amargura. Examine-se a se mesmo examinando a sua fala. Quais tipos de pensamentos ocupam a sua mente atualmente? São pensamentos de um futuro de esperança? São pensamentos sobre quem você pode abençoar e quem já o abençoou? Você passa mais tempo pensando no que não tem do que fazendo orações de gratidão pelo quem tem? As conversas que temos em nossa cabeça nos dizem muito sobre a condição do nosso coração. Por que não reiniciar esses processos de pensamentos hoje, ou melhor, agora? Você precisa de um milagre? Você deseja um romper? Que tal uma palavra de Deus ou uma cura? É tempo de expectativa por grandes coisas!

Um reinicio é necessário, e não há tempo melhor do que o presente para começar este processo. O único pré-requisito é expectativa. Hebreus 11.6 nos diz que nossa fé agrada a Deus. Precisamos entender que, se Deus irá fazer algo, Ele busca por pessoas que vivem com grande expectativa.

Nosso Deus é todo poderoso, porém limitamos sai obra em nossa vida quando nos recusamos a crer em Sua capacidade e sua vitória. Precisamos ativar a nossa fé e nos posicionar em expectativa, sabendo que ele pode fazer o impossível.

Neste devocional inspirador de 21 dias, o autor best-seller e pastor, Jentezen Franklin, caminha ao seu lado em uma nova visão de reconciliação, cura e descoberta. Ele mostra como deixar para trás a mágoa e a amargura, e escolher o amor e o perdão, a fim de liberar a liberdade e a alegria insondáveis de Cristo.
_______
FRANKLIN, Jentezen. Reinicie o seu coração: 21 dias para você aprender a amar como se nunca tivesse sido ferido. Rio de Janeiro, RJ: Editora Lan, 2020. 112p.

terça-feira, 17 de agosto de 2021

UM SUMO SACERDOTE MISERICORDIOSO E FIEL: ESTUDOS NO LIVRO DE HEBREUS [Resenha 067/21]


O livro bíblico de Hebreus foi escrito para exaltar a grandeza de nosso Salvador e a importância do evangelho de Jesus Cristo.

Em Um Sumo Sacerdote misericordioso e fiel, o pastor Martyn Lloyd-Jones revela as riquezas e as belezas da mensagem do evangelho que encontramos ao longo desse livro bíblico singular.

Em dezenove sermões repletos de exemplos e ilustrações que continuam pertinentes mesmo para os dias de hoje, o autor relaciona com perfeição as verdades encontradas no livro de Hebreus com o escopo mais amplo da Palavra de Deus, ao mesmo tempo que nos exorta a vivermos segundo a verdade do evangelho. Entre esses sermões estão: A autoridade do evangelho, O propósito da vinda de Cristo, Duas visões, dois destinos, Povo próprio de Deus e Evitando o juízo vindouro.

A pregação de Lloyd-Jones era fundamentada em uma leitura profunda do texto bíblico e em rico academicismo, mas ainda assim era acessível a todos: estimulava os afetos e transformava o coração.

O autor escreve:

“Ora, o autor estava se dirigindo a pessoas cristãs — todas as epístolas foram escritas para cristãos, para membros de igrejas — e, no entanto, ele os exorta a dedicar a mais profunda atenção às coisas que ouviram. O problema era que essas pessoas acreditavam no evangelho, mas viviam em um mundo difícil. Estavam sofrendo perseguição, passando fome e tendo de suportar todo tipo de coisa, e alguns estavam começando a vacilar. Eles não haviam perdido a fé, mas alguns estavam ficando abalados, e por isso o autor os exorta a não se afastarem das coisas que ouviram e nas quais acreditavam, a não serem negligentes em relação a elas. Sua mensagem, repito, era dirigida principalmente aos cristãos hebreus, mas é justo deduzir que, se era importante para os crentes se apegarem a essas coisas, quão mais importante não era para aqueles que não criam. Se aqueles que creem são capazes de abandoná-las, se essa é uma possibilidade, em que situação se encontram aqueles que nunca creram? Portanto, toda a exortação que o autor faz aos crentes é ainda mais crucial para aqueles que não são crentes, que não se tornaram cristãos.”
_____
LLOYD-JONES, Martin. Um Sumo Sacerdote misericordioso e fiel: Estudos no livro de Hebreus. São Paulo, SP: Edições Vida Nova, 2020. 224p.


 

FAÇA VOCÊ MESMO: GUIA PRÁTICO PARA REFORMAR SUA FAMÍLIA [Resenha 066/21]


Por mais cansativo que possa ser a reforma de uma casa ou apartamento, poucas coisas nos dão mais prazer do que contemplar a transformação do local que escolhemos como o "nosso" lar. Mas não é só o ambiente em que vivemos que pode ser reformado e transformado. Gary Chapman e Shannon Warden nos mostram que a família também pode ser renovada, tornando-se uma organização saudável, amorosa e colaborativa. Um ponto, contudo, é preciso ressaltar: ao contrário da reforma de uma casa ou de um apartamento, cujo trabalho pode ser delegado a terceiros, o ideal é que você mesmo assuma essa tarefa.

Ser pai e mãe não é tarefa fácil. Ainda, manter a família unida, as crianças educadas, o cônjuge feliz e colocar “a casa em ordem” exige dose extra de força de vontade. Com a aproximação entre os casais, pais e filhos, durante o isolamento social, o convívio familiar se pôs a prova. Alguns descobriram uma ótima relação, já outros, perceberam que precisam de uma reforma interior para evitar futuras crises.

Ao pensar em soluções para as famílias que desejam implementar uma nova cultura familiar, o best-seller Gary Chapman e a escritora Shannon Warden lançam o livro Faça você mesmo: Guia prático para reformar sua família. Publicado no Brasil pela Editora Mundo Cristão, a obra traz ferramentas eficazes para que esposas, maridos, pais e mães possam reestruturar os sentimentos.

Para isso, Chapman e Warden contam vivências pessoais e apresentam passo a passo de como usar as ferramentas certas para implementar estratégias de conexão e melhoria do equilíbrio emocional das famílias.

Além da introdução, o livro está cheio de insights práticos e encorajadores e dicas que funcionarão como as novas ferramentas de que você precisará para alcançar seus objetivos de melhoria do lar. Junto com as ferramentas de sucesso para os relacionamentos, A esperança do autor é que você aprenda com as metáforas sobre reforma de casas e desfrute delas enquanto lê e elabora seu projeto de reforma. Então pegue sua caixa de ferramentas, e mãos à obra!

Faça você mesmo: Guia prático para reformar sua família usa a metáfora da reforma do lar para oferecer dicas muito simples e extraordinariamente eficazes para você alcançar uma profunda alteração na cultura familiar.
______
CHAPMAN, Gary. Faça você mesmo: guia prático para reformar sua família. São Paulo, SP: Mundo Cristão, 2021.

segunda-feira, 16 de agosto de 2021

OS FUNDAMENTOS DA TEOLOGIA SISTEMÁTICA [Resenha 065/21]


“A Teologia há de estabelecer uma correlação entre a tradição da experiência cristã e as experiências de nosso tempo”. Hans Küng

A Teologia Cristã está a exigir uma nova Reforma. Há uma incerteza radical que aflige a Teologia diante dos pluralismos contemporâneos. Por causa das diferentes cores que o cenário teológico tem apresentado à tarefa teológica, a história não poderá continuar sem que haja a redescoberta do enfoque central que mantém as diversas Teologias unidas como cristãs – isto exige que novas obras sejam escritas em solo brasileiro.

É salutar quando vemos uma nova obra sendo lançada no mercado editorial. A educação teológica de nosso tempo está na expectativa de um novo paradigma ou até de uma nova forma de colocar a Teologia, a qual ofereça uma nova visão unificadora da Teologia cristã, que seja, ao mesmo tempo, baseada firmemente na Revelação Divina e consistente com a grande tradição da Igreja Cristã em sua espiritualidade revigorante, e por outro lado, conectada com o contexto e seu tempo.

Por mais de três séculos, a Teologia Ocidental ficou obcecada pelas questões e pelos problemas postulados pela modernidade, de tal forma que as suas ramificações se tornaram reféns do das ideologias culturais.

No entanto, um fato deverá ficar claro para a tarefa teológica, é a certeza de que a memória histórica nos conduz à fé de que haverá sempre esperança, pois, o povo de Deus é chamado a voltar para a fonte da Revelação Divina enquanto, ao mesmo tempo, é conduzida às novas luzes de respostas à vida desde a eterna Revelação de Deus.

Dois princípios devem de forma surpreendente trazer novas possibilidades à tarefa teológica, - a tradição da fé e a reforma dentro de novos contextos vitais e pertinentes a cada nova geração.

A Teologia vivida como sabedoria de Deus, quer ser uma proposta natural que liga coração e mente, a espiritualidade e a vida, os conteúdos da fé e uma pastoral autêntica, surgida da reflexão bíblica em conexão com a vida do povo, a qual dia a dia precisa crescer em profundidade de reflexão transformadora. E numa dialógica permanente, retornando, depois disso para uma reflexão intelectual, - assim avança continuamente, num processo circular crescente, gerando vida de fé e comunhão que transforma.

A tarefa da Teologia Sistemática deve levar em conta alguns procedimentos metodológicos fundamentais no labor teológico, os quais consistem no seguinte: Olhar para o presente como locus social, e, olhar para o passado como memória inspiradora da fé, enquanto é desafiada ao mesmo tempo a assumir uma nova perspectiva de futuro como sinal profético em permanente reforma, purificando-se historicamente.

Ao apresentar esta obra teológica, nascida em solo brasileiro, me alegro com o autor pela paixão teológica e a certeza do início de uma caminhada rumo à produção teológica, no caso específico, dentro da Teologia Sistemática.

Na Teologia Brasileira, cada vez mais somos desafiados a viver esse processo da tarefa teológica, a qual consiste em reler a Bíblia desde um novo lugar social, desde o reverso da história, desde o lugar deste ser humano a cada dia mais desumanizado, vítima da periferia da existência, desde os excluídos da hipermodernidade.

Sim, somos chamados a ler e reler as Escrituras e a própria tradição teológica desde o lugar do povo de Deus, e para o povo de Deus, sempre em conexão com o contexto geral dos seres humanos, onde a vida acontece, e não desde o lugar do enciclopedismo iluminista. O autor desta obra propõe uma Teologia ao encontro da vida, desde as grandes verdades da fé.

A Teologia Sistemática é cada vez mais desafiada a aprender com Jesus, que levou seus discípulos aos princípios básicos de uma prática que critica os sistemas atuais desde a perspectiva do Reino de Deus.

Jesus propõe que a Teologia leve a sério a dignidade da pessoa, a justiça, a solidariedade, o respeito para com a liberdade, a disposição em servir, a capacidade para suportar os conflitos, e, a um amor que supere os antagonismos.

Teologia hoje deverá corajosamente, diante do temor, suscitar a liberada cristã; diante dos medos atuais, maximizar a confiança; e diante das barbáries dos egocentrismos destruidores, suscitar a generosidade cristocêntrica. Pois, a educação teológica nunca poderá perder de vista a razão teórica da fé e a razão histórica da esperança – e ser efetivamente capaz de ligar as duas, pela razão prática do amor.

Luciano Nobre Frasson acredita que o ensino da Teologia tem uma vocação transformadora, aprofunda o conceito da memória da fé, depois busca encarar a tarefa do ensino teológico desde uma perspectiva expectante. É aqui onde encontramos a tarefa do labor teológico, como tarefa do penúltimo e não do último, relativizando nossas conclusões, Teologia sempre está a caminho.

Por ser a comunidade do Êxodo, a Igreja é convocada para estar sempre a caminho, relativizando suas conclusões, pois sabe que somente seu Senhor é absoluto, e de Sua Palavra somos cativos. Escrever Teologia é caminhar de pés descalços em direção ao inefável daquele que disse: “eu sou o Amém”.

Finalmente, deixo com o leitor a obra Os Fundamentos da Teologia Sistemática, Luciano Nobre Frasson, com quem tive o privilégio de caminhar em nosso curso de Teologia da UniFil. Possa você mesmo descobrir as eternas verdades da fé, a partir das quais o autor propõe caminhos de fé e esperança.
_________
FRASSON, Luciano Nobre. Os Fundamentos da Teologia Sistemática. Curitiba, PR: AD Santos Editora, 2018. 752p.

Créditos
Dr. Silas Barbosa Dias, PhD.
Transcrição completo do Prefácio

O TEMPLO E A MISSÃO DA IGREJA: UMA TEOLOGIA BÍBLICA SOBRE O LUGAR DA HABITAÇÃO DE DEUS [Resenha 064/21]


Partindo do texto bíblico de Apocalipse 21.1-2, o livro apresenta uma teologia bíblica cuidadosa e abrangente. Ele argumenta que o tabernáculo e os templos do Antigo Testamento foram simbolicamente projetados para apontar para a realidade do tempo do fim de que a presença de Deus, anteriormente limitada ao Santo dos Santos, seria estendida por todo o cosmo. Dessarte, a visão de João em Apocalipse 21 representa os novos céus e nova terra como o Templo Escatológico.

Gregory K. Beale é natural do Texas, estudou na Universidade Metodista do Sul e no Seminário Teológico de Dallas. Fez seu doutorado na Universidade de Cambrigde, onde defendeu a tese sobre o uso do livro do profeta Daniel na literatura apocalíptica judaica e no Apocalipse de João.

Lecionou Novo Testamento e Teologia Bíblica no Seminário Teológico de Westminster, onde foi titular da cátedra J. Gresham Machen de Novo Testamento. Recentemente, foi nomeado professor de Novo Testamento no Seminário Reformado de Dallas. Ele se destacou no campo de estudo do relacionamento entre o Antigo e o Novo Testamento.

Beale é autor de vários livros, entre eles Redemptive Reversals and the Ironic Overturning of Human Wisdom: The Ironic Patterns of Biblical Theology: How God Overturns Human Wisdom, The Erosion of Inerrancy in Evangelicalism: Responding to New Challenges to Biblical Authority publicados pela Crossway, Comentário do uso do Antigo Testamento no Novo Testamento, Manual do uso do Antigo Testamento no Novo Testamento, O uso do Antigo Testamento no Novo Testamento e suas implicações hermenêuticas, Você se torna aquilo que adora e Teologia bíblica do Novo Testamento, publicados por Edições Vida Nova. Além de seu aclamado Comentário do Apocalipse, publicado no Brasil pela Editora Cultura Cristã, Edições Loyola também publicou uma versão resumida do livro O templo e a missão de Deus.

O templo e a missão da igreja foi publicado originalmente na prestigiada série New Studies in Biblical Theology da InterVarsity Press, uma série de textos que abordam questões-chave da teologia bíblica. A edição ora resenhada traz dois prefácios, um do autor e outro de sua esposa, a quem Beale agradece o encorajamento para escrever a obra.

Na introdução, o autor faz um apanhado do tema do tabernáculo/templo em toda a história bíblica. Ele argumenta que o significado e o simbolismo do templo se baseiam em ricos pressupostos histórico-culturais, como a literatura judaica do Segundo Templo e a literatura do Antigo Oriente Próximo.

Nos 12 capítulos seguintes, o autor fundamenta exegeticamente sua teologia e traz novas abordagens a textos bem conhecidos. Ele analisa diversas passagens do Novo Testamento (Atos 7, Hebreus 10-12, Efésios 2, 1Coríntios 6 etc.) para explicar o significado tipológico das declarações do Antigo Testamento, especialmente dos profetas Isaías, Ezequiel e Daniel. No último capítulo, ele se preocupou em apresentar reflexões e aplicações práticas para a igreja hodierna.

No tratamento dos textos do Antigo Oriente Próximo, Beale defende a tese de que os templos pagãos tinham elementos de verdade, mas, por conta do pecado, eles distorceram essa verdade original.

O povo da Antiga Aliança foi convocado para construir um templo e manter fiel a adoração e o mundo seria abençoado. Beale ensina que Jesus é o verdadeiro templo e que os antigos templos eram modelos que se cumpriram em Cristo. Beale afirma que os crentes da Nova Aliança, em virtude da fé, são parte do verdadeiro Templo. Na segunda vinda, o Templo será concluído, pois a glória do Senhor cobrirá toda a terra.

Destaco a profunda análise feita sobre o Templo e o homem da iniquidade em 2Tessalonicenses e a visão do templo ideal em Ezequiel 40-48. Contrariando a visão popular, que aguarda a construção de um terceiro templo, para Beale, o templo é “uma visão figurada de um templo celestial real que desceria e seria estabelecido na terra em forma não estrutural nos últimos dias” (p. 371).

A edição brasileira tomou o cuidado de manter o índice das passagens bíblicas, das fontes antigas, como os Manuscritos do Mar Morto, a literatura patrística, os textos do Antigo Oriente Próximo e da literatura judaica, cristã e o índice onomástico. A tradução foi bem-feita e manteve a essência do elegante estilo de Beale.

Recomendo a leitura. O templo e a missão da igreja é uma ferramenta essencial para estudantes de teologia, pastores e professores, assim como leitores que procuram uma melhor compreensão do ensino da Teologia Bíblica.
__________
BEALE, Gregory K. O templo e a missão da igreja: Uma teologia bíblica sobre o lugar da habitação de Deus. Trad. Lucília Marques. São Paulo: Vida Nova, 2021, 480p.

Créditos
Publicado originalmente
https://teologiabrasileira.com.br/jesus-e-o-verdadeiro-templo-uma-resenha-do-livro-o-templo-e-a-missao-da-igreja/

INTELIGÊNCIA RELACIONAL: HABILIDADES INTERPESSOAIS NECESSÁRIAS PARA ALCANÇAR O SENTIDO DA VIDA [Resenha 063/21]


Relacionamentos verdadeiros são muito importantes. Somos um fator decisivo na vida das pessoas. Elas nos erguem ou nos derrubam. Uma noite de diversão com pessoas certas podem revigorar nossas almas e erguer nossos espíritos. Quanto mais envelhecemos, mais devemos ter certeza de que o maior recurso não é dinheiro, tempo, carreira ou nossos talentos - são as pessoas em nossas vidas.

Por isso, não basta só desenvolver suas habilidades para lidar com robôs, aplicativos, softwares. Para ser relevante na vida comum ou profissional, antes é preciso saber ser relacional com pessoas, de forma inteligente. A Inteligência Relacional é a habilidade de mobilizar pessoas em prol de um objetivo comum e já uma das competências mais revolucionárias desde a descoberta da inteligência emocional.

Sabemos que a vontade de Deus é a união entre as pessoas, mas em inteligência relacional, o autor nos encarrega de um aprimoramento. Para obedecer a tudo que Deus reservou para nós, é necessário mais do que um corpo com energia para caminhar pela vida. Para ir até o fim com um objetivo, precisamos de pessoas que nos inspirem a concretizar o chamado de Deus. Este livro ajudará a definir, entender, ajustar e avaliar os relacionamentos existentes em sua vida.

O livro possui além do prefácio e apresentação, dezessete capítulos, divididos em quatro partes: [1] Definindo seus relacionamentos, [2] Conhecendo seus relacionamentos, [3] Ajustando seus relacionamentos e [4] Avaliando seus relacionamentos. Nesta exposição magistral, ensina-se a extrema necessidade das habilidades interpessoais, para estimular o pensamento transformador. Dr. Dharius Daniels fornece indicações, conhecimento e ferramentas práticas para maximizar nossos relacionamentos horizontais e verticais. O posicionamento correto de pessoas em nossas vidas dá frutos verdadeiros.
________
DANIELS, Dharius. Inteligência relacional: habilidades interpessoais necessárias para alcançar o sentido da vida. Rio de Janeiro, RJ: Editora Lan, 2021.

quarta-feira, 11 de agosto de 2021

BIBLIA SAGRADA NOVA VERSÃO TRANSFORMADORA: PARA ANOTAÇÕES E ESBOÇOS [Resenha 062/21]


Uma técnica que nasceu nos Estados Unidos e vem ganhando cada vez mais adeptos no Brasil, o Bible Journaling é a nova moda entre quem gosta de escrever, ilustrar e desenhar. A técnica consiste em destacar versículos, registrar insights, reflexões, referências, memórias e outras anotações das passagens bíblicas favoritas.

Para ajudar os leitores e leitoras adeptas da prática existem Bíblias específicas para esse propósito. É o caso da Bíblia Sagrada Nova Versão Transformadora: Para anotações e esboços, lançamento da editora Mundo Cristão, que trouxe uma diagramação com espaço extra pra anotações que torna o estudo bíblico criativo e prazeroso.

Com papel mais resistente para anotações, essa versão é ideal para quem tem dificuldade de memorizar textos, já que é cientificamente comprovado que escrever à mão ajuda a lembrar de informações importantes. Com uma diagramação leve, o lançamento também serve de ferramenta para pregadores, pastores, professores e estudiosos, que poderão elencar os tópicos do estudo em sua própria Bíblia.

Além disso, a obra apresenta o texto claro e preciso da Nova Versão Transformadora (NVT), uma tradução das Escrituras em linguagem fácil e acessível com base nos textos originais. Este lançamento está disponível em duas opções de capa dura, além de ter uma gramatura um pouco maior e letra confortável para melhor experiência de leitura.

A Nova Versão Transformadora (NVT) foi projetada para atender às exigências de diversos perfis de leitores: o especialista em exegese bíblica, o pastor que busca um texto confiável para fundamentar seus sermões, o leigo que procura uma palavra de inspiração bíblica que fale diretamente á alma e o jovem que espera compreender o que está lendo. A NVT é própria para leitura individual, devocional e até congregacional, em voz alta.
___________
Bíblia Sagrada nova versão transformadora: para anotações e esboços. São Paulo, SP: Mundo Cristão, 2021. 1632p.

Créditos
https://guiame.com.br/gospel/leitura/bible-journaling-biblia-na-qual-e-possivel-aplicar-o-metodo-criativo.html

segunda-feira, 9 de agosto de 2021

CHÁ DE BONECAS E ENCONTRO DE HERÓIS: PROJETO DE PREVENÇÃO AO ABUSO SEXUAL INFANTIL [Resenha 061/21]


Prevenção de violência sexual é fundamental. A violência sexual é uma questão de saúde pública que afeta o bem-estar da vítima, da família, da comunidade e da sociedade. Este é um livro que tem por objetivo capacitar as pessoas de diversas idades para desempenharem um papel significativo na prevenção ou interrupção de um abuso sexual. Como adultos não podemos fazer com que nossas crianças vivam livres do perigo, mas podemos garantir a elas que a ajudaremos quando algo ruim acontecer.

Proporcionar conhecimento em relação a sua própria segurança, não é só uma responsabilidade, mas a única coisa a fazer. Quando uma criança é estimulada a se comunicar, desenvolve a habilidade de ter a participação ativa em sua própria segurança.

Algumas pessoas podem achar que falar da exploração sexual poderá assustar uma criança, mas isso é pouco provável que aconteça, pois crianças sabem que existem coisas que podem ser perigosas como colocar a mão em cachorros desconhecidos, ou atravessar uma rua movimentada. Quando o medo acontece, ele é diminuído ensinando estratégias de prevenção.

Como ensinar às crianças a diferença entre carinho e abuso? Na escola o assunto é tabu. Em casa os pais não se sentem confortáveis em falar sobre o tema. Com as bonecas de pano, Neide Lunas e Mara Melnik criaram o método perfeito, que orienta de forma lúdica, sem constranger ou assustar. A concepção da boneca é genial. Ela tem duas faces, uma feliz e outra triste. Vai depender do tipo de toque que ela receber. Existem dois tipos: o toque do SIM e o toque do NÃO. O toque do SIM é o do afeto, geralmente parte dos pais ou pessoas de confiança. O toque do NÃO é o do abuso, aquele que as crianças aprendem a identificar e a se afastar.

Além da prevenção, o projeto permite, através da interação com a boneca, que a criança relate possíveis experiências e traumas. A falta de informação talvez seja um perigo ainda maior para as meninas do que um monstro abusador. Você vai conhecer nas páginas a seguir a história de duas mulheres que, diante desta triste realidade, decidiram agir.

O livro possui 11 capítulos com muitas ilustrações, fotos e atividades que podem ser reproduzidas para uso em sala de aula. As marcas causadas pelo abuso sexual são profundas e podem ser devastadoras. Se pensarmos que “tudo começa na infância” esse “tudo” pode definir o modo de agir, mudar a vida, significar muito. O Abuso sexual tende a estragar tudo o que era perfeito.
_______
MELNIK, Mara Xavier; LUNAS, Neide Rute Alves. Chá de Bonecas e Encontro de Heróis – Projeto de Prevenção ao Abuso Sexual Infantil – Curitiba, PR: A.D. SANTOS EDITORA, 2018. 136 p.

sexta-feira, 6 de agosto de 2021

ALEGRIA NO SENHOR: A MENSAGEM DE FILIPENSES PARA A IGREJA DE HOJE [Resenha 060/21]


Este livro é fruto de uma série de exposições realizada pelo autor na Igreja Presbiteriana da Gávea. Foi escrito dentro de uma perspectiva pastoral e prática. “Não existe aqui nenhuma intenção de produzir um material de estudo acadêmico-exegético, mas, meu desejo é — partindo da boa exegese do texto e em seus originais — trazer ao público uma abordagem prática para os dias atuais, sempre observando o grande tema da carta, que é a verdadeira alegria. Meu objetivo é mostrar que a verdadeira alegria só é possível quando vivemos para glória de Deus".

Paulo provavelmente escreveu a Carta aos Filipenses quando estava preso pela primeira vez em Roma (60-62 d.C.), mas existem outras fontes de pesquisa que sugerem que Paulo a tenha escrito na prisão em Cesareia (57-59 d.C.), ou até mesmo em outro momento na cidade de Roma (64-65 d.C.). A citação da “guarda pretoriana” (Fp 1.13) é um dos indícios de que provavelmente Paulo estivesse de fato em Roma quando escreveu sua carta, bem como o relato que ele faz do seu processo (Fp 1.19-26). Concordo com a grande maioria dos comentaristas que sugere Roma, entre os anos de 60-62 d.C., como o lugar de onde Paulo escreveu aos filipenses.

É possível perceber na Carta aos Filipenses a preocupação pastoral de Paulo, que deseja uma igreja saudável, fiel ao evangelho, mas sabia como estava sendo difícil para os membros enfrentar as dificuldades da vida cristã e os desafios de viver em uma comunidade de fé.

Hendriksen[1] fala sobre a importância de estudar essa carta:

1. Ela nos revela o segredo da verdadeira felicidade. E está claramente expresso na carta como essa felicidade pode ser alcançada.

2. Ela nos revela o homem que descobriu o segredo. Filipenses é a mais pessoal de todas as epístolas de Paulo. Essa característica se entrevê também em 2 Coríntios, em 1 Tessalonicenses e em Filemom; contudo, em nenhuma delas vemos a personalidade real de Paulo, que, em Filipenses, abre seu coração para aqueles a quem ama profundamente.

3. Ela nos revela o Cristo que ensinou o segredo. É aqui (em Filipenses) que conhecemos a Cristo como nosso padrão e ajudador, na grandeza de seu amor condescendente (Fp 2.5-11; 4.13).

Portanto o tema da alegria é muito atual, e a perspectiva bíblica exposta aqui pode nos ajudar, e muito, a construir relações saudáveis em nossa vida com Deus e com o nosso próprio coração, na vida eclesiástica comunitária e na missão de cada cristão no mundo.

O livro está dividido em catorze capítulos, onde o autor desenvolve — com coração pastoral e mente de exegeta — o conceito da alegria cristã em meio às tribulações. O livro é repleto de ilustrações, de aplicações práticas e de perspectivas exegéticas desafiadoras que levam o leitor a refletir e a desejar mais e mais a alegria em Cristo. Recomendo com entusiasmo.
______
SAHIUM, Leonardo. Alegria no Senhor: a mensagem de Filipenses para a igreja de hoje. São Paulo, SP: Vida Nova, 2021. 256p.

_________
[1] William Hendriksen, Efésios e Filipenses, 3. ed. (São Paulo: Cultura Cristã, 1992), p. 354.

quarta-feira, 4 de agosto de 2021

O ENREDO DA SALVAÇÃO: PRESENÇA DIVINA, VOCAÇÃO HUMANA E REDENÇÃO CÓSMICA [Resenha 059/21]


Histórias nos cativam, não só por causa de seus artifícios literários, mas porque tocam a essência do nosso ser. Somos seres desejosos de conhecer melhor como chegamos até aqui e movidos pela expectativa do que está por vir. Somos seres históricos por natureza, criados por Deus, manchados pela nossa rebeldia, carentes de resgate rumo a um ápice paradisíaco. Essa é a história do mundo, na qual fomos inseridos pelo Criador.

Portanto, poucas coisas são mais essenciais para a maturidade e a eficácia de cristãos e igrejas na missão do que um ensino claro e um entendimento gradual da Palavra de Deus. Todavia, mesmo nas igrejas em que se prega a Bíblia, pode acontecer de passagens bíblicas serem pinçadas aqui e ali como promessas motivadoras, como comprovações de doutrinas específicas, ou até como açoites para castigos moralistas. Resta então a ignorância do que a Bíblia de fato é como um todo, ou seja, o relato da grande história de Deus, da criação, e da humanidade. A Bíblia explica o passado, aponta-nos para o futuro último, e convida-nos a participar, desde já, desta história e viver em conformidade com ela.

É inspirador saber que, após anos de muito estudo, um acadêmico treinado em exegese e teologia bíblica produz uma obra ao mesmo tempo profunda e acessível ao público em geral. O enredo da salvação nos lembra de confiar menos em nós mesmos e mais no Deus que ressuscita os mortos, e o faz de modo inspirador, coerente e profundo. Bernardo presenteia-nos não somente com ideias, mas com o fruto de seu penoso labor exegético, seu percurso de amor às Escrituras e sua capacidade de transmitir conceitos complexos de forma compreensível.

O livro possui vinte capítulos divididos em quatro partes: Parte I — Da criação a Israel; Parte II — Do Sinai ao exílio; Parte III — Do nascimento à ressurreição de Jesus e Parte IV — Do sepulcro vazio à Nova Jerusalém. Bernardo Cho apresenta um excelente exemplo de como os pastores podem ajudar as pessoas a compreender o enredo da Bíblia como a estrutura geral que permite uma avaliação mais profunda de cada uma de suas partes. Conecta cada porção das Escrituras e nos desvenda a Bíblia, não como uma biblioteca de 66 livros, mas como uma Grande História, a história de Deus, a nossa própria história!
_____
Cho, Bernardo. O Enredo da Salvação: Presença divina, vocação humana e redenção cósmica. São Paulo, SP: Mundo Cristão, 2021.

sábado, 31 de julho de 2021

VOCÊ PODE SER QUEM DESEJA: TORNE-SE UM PENSADOR DE POSSIBILIDADES [Resenha 058/21]


É possível que um homem de 50 anos de idade, com excesso de peso, que nunca foi atleta, que se sente e parece mais velho do que realmente é, torne-se um recordista em maratonas? Pode alguém que no ensino médio obteve notas baixas em química conseguir alcançar notas mais altas nessa matéria, na universidade? Que possibilidades há de alguém que se tornou tetraplégico, por causa de uma lesão cerebral, reaprender a andar? De um estudante fracassado vir seu um dos melhores neurocirurgiões do mundo? De um negro órfão e abandonado tornar-se um médico proeminente. Os pensadores pessimistas diriam: “É impossível essas coisas acontecerem”. Mas, conheço pessoas que passaram por essas mudanças, aparentemente miraculosos, e sei como conseguiram isso.

Você já teve um sonho que floresceu em sua mente para depois morrer? Já tentou carreira após carreira e em todas fracassou, até chegar à conclusão de que seus sonhos são irreais e absurdos? Você está despontado, desencorajado e descontente com o sucesso que alcançou? Está secretamente insatisfeito com seu status atual? Deseja tornar-se uma pessoa melhor e mais bonita do que é? Gostaria de aprender, de verdade, a ter orgulho próprio e ao mesmo tempo não perder a humildade genuína? Então, comece a sonhar! É possível! Você pode ser a pessoa que sempre quis ser.

Neste livro você aprenderá que o começo é o principio da vitória. O autor explica: [1] Como você pode ser quem deseja. [2] Como alcançar suas metas e ser inspirado por elas. [3] Como destruir o temor do fracasso e ter autoconfiança e [4] Como compreender por que coisas grandes acontecem com quem pensa grande.

Este livro possui 12 capítulos, onde foram esboçados princípios para a vida dinâmica e exitosa. Ponha-os em prática, e eles funcionarão. Você pode tornar-se a pessoa que deseja ser. Pode ter sucesso em sua vocação, em suas aspirações pessoais, em sua vida.

Robert Harold Schuller (1926-2015), autor de 37 livros, tornou-se conhecido nos Estados Unidos por seu programa televisivo semanal “Hour of Power” [Hora do poder], que começou a ser transmitido em 1970. Schuller encorajava as pessoas a acreditar em seus sonhos e a realizar grandes projetos. Além disso, ele enfatizava os aspectos positivos da fé e evitava condenar as pessoas. Uma de suas frases mais marcantes é: “Se você pode sonhar, você pode fazer!”.
_____
SCHULLER, Robert H. Você pode ser quem deseja: torne-se um pensador de possibilidades. São Paulo, SP: Editora Hábito, 2021.

quinta-feira, 29 de julho de 2021

PANORAMA HISTÓRICO DE ISRAEL PARA ESTUDANTES DA BÍBLIA [Resenha 057/21]


Escrever a história de Israel é uma tarefa fora do comum. Quem se lança a esta dura empreitada logo vai enfrentar o desafio de perguntas importantes e difíceis, quando não impossíveis de serem respondidas, que vão surgindo no decorrer do trabalho. As dificuldades já aparecem no momento em que se procura definir o significado do próprio termo “Israel” e delimitar a época de seu surgimento e de seu desaparecimento. Parece simples, mas apontar com certa margem de exatidão o nascimento de Israel e deixar claro o que este termo exprime é algo muito complicado. Afinal, a própria palavra Israel, na Bíblia, é utilizada com, pelo menos, nove sentidos diferentes.

A tarefa de apresentar um panorama histórico para estudantes da Bíblia, como é o caso neste trabalho, também não é simples. Não é fácil decidir, entre tanta riqueza de detalhes, o que deve constar e o que deve ficar de fora do relato. Contudo, dentro do possível, aqui serão abordados, de forma geral e resumida, todos os pontos que sejam indispensáveis para ajudar o leitor a ter uma compreensão mais clara dos acontecimentos narrados na Bíblia. Minúcias que dizem res- peito a acontecimentos paralelos e nações vizinhas, ainda que importantes, serão evitados ao máximo, mas, havendo interesse, poderão ser encontrados na bibliografia apresentada.

Como a história de Israel, da mesma forma que a de outros povos, não surge em um vácuo, para que haja uma melhor compreensão dos seus inícios, a primeira parte deste panorama estará apresentando uma análise do que pode ser chamado de “Pré-História de Israel”, o período que está ligado a Israel mas que ainda não faz parte dele, pois este povo, ou nação, não existia naquela época. Nela será visto como estava se desenvolvendo a vida social em Canaã, Egito e Mesopotâmia, locais extremamente importantes na história bíblica, antes e durante a existência dos chamados, na atualidade, “Patriarcas”, os antepassados de Israel.

Em seguida, o relato estará apresentando como que a nação foi formada. Feito isto, seguirá em uma ordem cronológica que passará pela conquista de Canaã, o chamado Período dos Juízes, os primórdios da monarquia, a divisão do reino e o desenvolvimento individual de cada uma das partes, Reino do Norte, Israel, e Reino do Sul, Judá, desde os seus primeiros passos até o desaparecimento como estados independentes, conquistados, respectivamente, pela Assíria e Babilônia.

Também será visto, na sequência, como foi a vida do povo cativo na Babilônia e, logo após, como aconteceu o retorno para Judá e como se desenvolveu a comunidade pós-exílica, debaixo do poderio persa, grego e romano, com o breve intervalo de independência na época dos Macabeus. No decorrer do texto algumas passagens bíblicas serão apresentadas. Sempre que isto ocorrer, estará sendo utilizada a Edição Revista e Atualizada no Brasil, traduzida em português por João Ferreira de Almeida, e publicada pela Sociedade Bíblica do Brasil em 1969. Quando aparecer alguma citação bíblica na língua hebraica ela estará sendo feita da Bíblia Hebraica Stuttgartensia.

Para ajudar quem se interessa por textos bíblicos específicos e personagens e temas que envolvem a Bíblia, também foi preparado e colocado no final do livro um apêndice com um índice de nomes e temas e outro com os textos bíblicos que são citados ou utilizados na obra.[1]
_____
GUSSO, Antônio Renato. Panorama Histórico de Israel para Estudantes da Bíblia. Curitiba, PB: AD Santos Editora, 2021. 6ª Edição. 254 p


[1] Este texto trata-se da introdução deste livro na íntegra.

quarta-feira, 28 de julho de 2021

OS SALMOS COMO LOUVOR CRISTÃO: UM COMENTÁRIO HISTÓRICO [Resenha 056/21]


Temos aqui o terceiro volume da Trilogia sobre o Livro de Salmos. O primeiro volume é sobre “Os Salmos na adoração cristã”, em seguida, no segundo comentário “Os Salmos como lamento cristão” e, agora, no terceiro, é sobre “Os Salmos como louvor cristão”.

Antes de ouvir a voz inspirada do salmista e a voz de fé da Igreja em resposta é introduzida uma coletânea de escritos como reflexão sobre o louvor, tentando responder questões como “por que louvar a Deus?” e “como louvá-lo?” A luz de sua santidade imaculada, os autores estão profundamente conscientes de nossos lábios impuros; no entanto, estamos de todo persuadidos de que a morte de Cristo e o espírito de purificação são a cura dupla para salvar-nos da ira e nos tornar puro.

Os comentaristas afirmam que: “Nossa meta nos três comentários sobre o livro de Salmos é edificar a igreja pela audição da voz do salmista mediante exegese cuidadosa da coletânea de escritos e pela audição da voz da igreja em resposta. Com o termo “edificar” desejamos acrescentar substância à fé, fervor à virtude, convicção à confissão; e que a igreja seja fortalecida na fidelidade, em especial neste tempo de perseguição em muitas regiões do mundo e da apostasia do Ocidente.

A essência do saltério é o louvor, mas considerando que muitos salmos são inteiramente cânticos de louvor, o foco deste livro é em subespécies dos salmos de louvor: os que proclamam o “Eu Sou reina”. Todo o foco desse Livro é no volume IV do saltério (Sl 90-106); a saber, os Salmos 90-100 (exceto o Salmo 94 de lamento) e os Salmos 103-104.

Os Salmos são uma inspiração para todo meio cristão, e no livro "Os salmos como louvor cristão", Bruce K. Waltke e James M.Houston percorreram esse universo explicando o conceito base de todos eles. Tudo isso é essencial para a vida cristã, então se você é um cristão, e tem desejo de ir mais profundo na adoração, esse livro é para você.
_____
WALTKE, Bruce K. HOUSTON, James M. Os Salmos como louvor cristão: Um comentário histórico. São Paulo, SP: Shedd Publicações, 2020. 352p.