domingo, 31 de maio de 2015

SÓ ME RESTA ORAR! - Professor Pádua


"[...] Nada é difícil demais para ti." (Jeremias 32:17)

O poder de Deus é limitado? As escrituras nos dizem que Deus é onipotente, o que significa todo-poderoso.

Mesmo quando Jó estava sob dor e sofrimento, disse ao Senhor: "Sei que podes fazer todas as coisas; nenhum dos teus planos pode ser frustrado" (Jó 42:2).

O profeta Jeremias proclamou o poder de Deus: "Ah! Soberano Senhor, tu fizeste os céus e a terra pelo teu grande poder e por teu braço estendido. Nada é difícil demais para ti" (Jeremias 32:17).

O arcanjo Gabriel tranquilizou Maria dizendo: "nada é impossível para Deus" (Lucas 1:37).

Então, veja como é bobo dizermos algo do tipo: "Já tentei de tudo, e agora só me resta orar". "Agora tudo o que lhe resta fazer é voltar-se para o Deus todo-poderoso, o Criador do universo, que aliás lhe ama muito".

Como assim, só lhe resta fazer isso?
Pelo contrário: esta é exatamente a primeira coisa que você fazer. A primeira coisa a ser feita, antes de mais nada, devemos entregar os nossos problemas a Deus, pois nada é difícil demais para Ele.

Nada é impossível. Nada está além do alcance dEle. Nada está além da Sua capacidade. (DEVOCIONAL)

Nos abençoe!
a) Siga-nos no blog - http://professorpadua.blogspot.com.br/
b) Curta a nossa página - https://www.facebook.com/pages/Professor-Pádua/163391750483474
c) Nos ADD - https://www.facebook.com/professorpadua.ipb

sábado, 30 de maio de 2015

CREIO EM DEUS - Professor Pádua


"Assim, tenham ânimo, senhores! Creio em Deus que acontecerá do modo como me foi dito." (Atos 27:25)


Naquela noite num barco sacudido por uma tempestade no Mediterrâneo, o apóstolo Paulo dirigia-se para Roma. Ele havia sido perseguido e preso e estava indo para comparecer diante de César, para ser julgado.

Eis que no caminho, uma terrível tempestade surgiu. Foi tão violenta que os marinheiros a bordo do navio pensaram que iriam morrer. Eles não viram o sol ou as estrelas por dias e não sabiam onde estavam.

Mas Paulo foi capaz de levantar-se no convés do navio sacudido pela tempestade e dizer para aquela tripulação assustada:

“Mas agora recomendo-lhes que tenham coragem, pois nenhum de vocês perderá a vida; apenas o navio será destruído. Pois ontem à noite apareceu-me um anjo do Deus a quem pertenço e a quem adoro, dizendo-me: ‘Paulo, não tenha medo. É preciso que você compareça perante César; Deus, por sua graça, deu-lhe as vidas de todos os que estão navegando com você’. Assim, tenham ânimo, senhores! Creio em Deus que acontecerá do modo como me foi dito. Devemos ser arrastados para alguma ilha”. (Atos 27:22-26)

É uma coisa maravilhosa quando nós, como cristãos, podemos dizer essas palavras: "Eu creio em Deus."

É especialmente bom ser capaz de dizer isso nesse mundo louco que parece ficar cada dia mais escuro, tempestuoso e perverso. Na verdade, estamos vivendo uma época em que o errado parece ser certo e o certo parece ser errado. Tudo está invertido.

Mas Deus é eterno, Ele nunca muda. Ele disse ao profeta Malaquias: "De fato, eu, o Senhor, não mudo. [...]" (Malaquias 3:6). Podemos confiar n'Ele. Como o apóstolo Paulo, podemos dizer: "Eu creio em Deus." (DEVOCIONAL)


quinta-feira, 28 de maio de 2015

LIVRE ACESSO À DEUS - Professor Pádua


"Naquele momento, o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo [...]" (Mateus 27:51)

Se eu pudesse estar presente em algum momento da história, um evento que gostaria de ter visto foi o véu do templo se rasgando em duas partes.

No pátio interior do templo de Jerusalém, no Santo dos Santos, ficava a Arca da Aliança. Era aí que o sumo sacerdote ia uma vez por ano para oferecer sacrifícios pelos pecados do povo. Um véu, muito espesso, uma cortina de tecido, separava o Santo dos Santos do resto do templo.

Quando Jesus morreu na cruz como um sacrifício pelos nossos pecados, aquela pesada cortina se rasgou de alto a baixo. Não foi rasgada debaixo para cima, como se alguma pessoa a estivesse rasgando. Em vez disso, ela foi rasgada de cima para baixo, porque era Deus quem a estava rasgando.

Deus estava dizendo: "Você não está mais do lado de fora. Pode entrar. Meu filho abriu um caminho para você."

O apóstolo Paulo explicou como podemos agora nos aproximar de Deus:

"Portanto, irmãos, temos plena confiança para entrar no Santo dos Santos pelo sangue de Jesus, por um novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, do seu corpo. Temos, pois, um grande sacerdote sobre a casa de Deus. Sendo assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé [...]". (Hebreus 10:19-22)

O véu foi rasgado. Jesus é o nosso intercessor. Não temos mais que passar por uma pessoa para chegar a Deus. Não temos mais que passar por rituais. Em vez disso, Jesus abriu um caminho novo e vivo para chegarmos a Deus.

Jesus pagou tudo. É sempre muito importante lembrarmos disso. (Devocional)


quarta-feira, 27 de maio de 2015

A PEQUENA FÉ E A PALAVRA DE DEUS - Professor Pádua


"Então perguntou aos seus discípulos: 'Por que vocês estão com tanto medo? Ainda não têm fé?'" (Marcos 4:40)

Um dia no mar da Galileia, Jesus disse a Seus discípulos "Vamos atravessar para o outro lado" (Marcos 4:35). Quando eles estavam fazendo a travessia, uma enorme tempestade veio do nada - o que era uma ocorrência comum naquele grande lago de água doce. Os marinheiros experientes ficaram aterrorizados com os ventos com a força de um furacão que os atingia e com a água entrando no barco.

Apesar do mau tempo, Jesus conseguiu dormir. Mas os discípulos não puderam mais se conter. Acordaram Jesus dizendo: "Mestre, não te importas que morramos?" (verso 38). O que é realmente um pouco acusador, mas era a maneira que se sentiam.

Eles estavam basicamente dizendo: “Senhor, Você está mesmo ciente do que estamos enfrentando agora? Por que Você permite isso?”

Como costumo dizer: "até se pode perguntar os por quês, contanto que não espere por uma resposta". Melhor chorar de angústia para Deus do que se voltar para Ele com raiva.

Jesus acordou e repreendeu a tempestade e também a eles, perguntando-lhes: "Por que vocês estão com tanto medo? Ainda não têm fé?"(verso 40) Ou literalmente, “Por que vocês são tão tímidos, medrosos? 

Jesus estava dizendo: “Rapazes, vocês não aprenderam nada?”

Perceba que Jesus disse “Vamos atravessar para o outro lado!” Ele não disse “Vamos nos afogar no meio do Mar da Galileia!”

Ele não prometeu uma navegação suave ou um mar de rosas, mas prometeu uma passagem segura.

É melhor estar numa tempestade com Jesus do que em qualquer outro lugar sem Ele.

Ou num forno de fogo – pergunte a Sadraque, Mesaque e Abede-Nego. Ou na jaula dos leões – pergunte a Daniel. Ou numa prisão – pergunte a Pedro. Ou numa tempestade novamente ou até mesmo naufragado – pergunte a Paulo. (DEVOCIONAL)


quinta-feira, 21 de maio de 2015

OSCILAÇÃO DA FÉ - Professor Pádua


"Elias dirigiu-se ao povo e disse: 'Até quando vocês vão oscilar entre duas opiniões? Se o Senhor é Deus, sigam-no; mas, se Baal é Deus, sigam-no'. O povo, porém, nada respondeu." (1 Reis 18:21)

Tenho certeza que o maior dia da sua vida foi quando fostes alcançados pelo Evangelho da Graça e perdoados os seus pecados. O dia em que seu destino eterno mudou; o dia em que você passou das trevas para a luz; o dia em que você encontrou um novo propósito e significado para sua vida.

Mas aquele dia foi também o dia em que uma guerra espiritual muito concreta teve início. Alguns cristãos ficam chocados ao descobrir que a vida cristã não é um parque, mas um campo de batalha.

Goste ou não, você está em uma batalha entre o bem e o mal, entre o certo e o errado, entre Deus e Satanás. Não é opcional; e você tem que escolher de que lado quer lutar.

Como Elias perguntou ao povo no Monte Carmelo, "Quanto tempo vocês vão oscilar entre duas opiniões? Se o Senhor é Deus, sigam-no."

Deixe-me confessar-lhe uma coisa: jamais entendi um compromisso morno com Jesus Cristo. Elias seguiu o Senhor com todo o coração. No campo de batalha, ou você avança e deixa Deus usa-lo, ou você terá que se retirar.

É hora de sair das trincheiras. É hora de tirar o pó de suas roupas, polir a sua armadura e afiar a sua espada. Porque, gostando ou não, você foi convocado para o serviço de Deus.

Como filho de Deus, você é como um soldado. Sua escolha é apenas ser um bom ou um mau soldado.

Elias tinha escolhido ser um soldado espiritual e estava pronto para a batalha.
- E quanto a você?

segunda-feira, 18 de maio de 2015

A PLENITUDE DA REDENÇÃO (Ultimato) - Professor Pádua


A plenitude da redenção já ocorreu. Não é um projeto arquivado. Não é um projeto sobre a mesa. Não é um projeto em andamento. Não é um projeto a espera de voluntários. Não é um projeto inacabado. Não é um projeto parado no tempo e no espaço. não é um projeto atravancado por aqueles que lhe fazem oposição. Não é um projeto equivocado.

Não é um relógio que marca a plenitude da redenção. Não são os teólogos que atestam a plenitude da redenção. Não são os diretores de cinema que montam o cenário e a sucessão de eventos que levam à plenitude da redenção.

O sinal audível da plenitude da redenção foi uma das sete palavras de Cristo na cruz, aquela que ele pronunciou exatamente antes de inclinar a cabeça e render o espírito: "Está consumado!" (Jo 19.30).

O sinal visível da plenitude da redenção foi o rompimento da cortina tricolor que fazia separação entre o Santo Lugar e o Santo dos Santos. Os três evangelhos sinóticos registram que, no momento da morte de Jesus, "o véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto para baixo" (Mc 15.38).

Os dois sinais, o sinal audível e o sinal visível, deram-se no mesmo momento, mas em lugares diferentes: o primeiro foi no alto da cruz e o segundo no interior do templo de Jerusalém.

Embora organizados e ordenados por Deus, todos os sacrifícios de animais até então oferecidos eram apenas ensaio do sacrifício perfeito, que trazia definitivamente a plenitude da redenção. Graças à oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez por todas (Hb 10.10), o pecador arrependido é justificado e santificado pelo sangue do Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo (Jo 1.29).

O grande êxito da plenitude da redenção é que, agora, os crentes podem ter a intrepidez de entrar na presença de Deus "pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne" (Hb 10.19-20). Em dias de outrora, quem ousasse entrar no Santo dos Santos morreria no local. Hoje, as coisas são bem diferentes. Graças unicamente à plenitude da redenção! (Editora Ultimato)

quinta-feira, 14 de maio de 2015

AUTOSSUFICIÊNCIA - Professor Pádua


A cena é comum: um grupo de jovens ataca o outro, por razões nem sempre claras. Não: a razão é clara: o uso da força física é uma forma de exercício de autossuficiência.

Olhamos para rapazes desse tipo e nos horrorizamos. Lamentamos que seus pais tenham se tornado vítima da filhocracia (em que os filhos governam sobre os pais). Entristecemo-nos por suas vidas plenas de vazio.

No entanto, achamos salutar a autossuficiência. O vírus da autossuficiência se desenvolve onde é ela canonizada, celebrada, cultuada e cultivada. No jardim da autossuficiência não nasce a flor da humildade, não viceja o respeito pelo outro, não se aduba a terra para a solidariedade. O autossuficiente é um ateu funcional, crendo apenas na sabedoria da razão, na soberania da ciência, no poder da tecnologia e na inteligência da estratégia.

No mundo do autossuficiente não há espaço para a pergunta e nem oportunidade para a oração. Triste o mundo em que não há lugar para a dúvida e nem para a comunhão com Deus. Se queremos mesmo condenar os que lançam mão dos bastões do ódio, ao se fiarem na força física ou em carros ou cavalos, devemos afirmar e demonstrar que "confiamos no nome do Senhor, o nosso Deus" (Salmo 20.7).

Quem confia em Deus não põe seu nome na agenda da violência.(IBA)

quarta-feira, 13 de maio de 2015

DISCIPULANDO - Professor Pádua


"Quando chegou a Jerusalém, tentou reunir-se aos discípulos, mas todos estavam com medo dele, não acreditando que fosse realmente um discípulo. Então Barnabé o levou aos apóstolos e lhes contou como, no caminho, Saulo vira o Senhor, que lhe falara, e como em Damasco ele havia pregado corajosamente em nome de Jesus." (Atos 9:26-27)

Após a conversão de Saulo houve grande dúvida por parte dos crentes, quanto a sua real fé em Jesus Cristo. Afinal de contas, Saulo havia sido um cruel perseguidor dos primeiros cristãos. Alguns até pensavam que ele alegava a conversão como uma tentativa de se infiltrar nas igrejas.

Então Deus falou a um homem chamado Ananias e instruiu-lhe a visitar Saulo. Ananias provavelmente não podia acreditar no que ouvia: “Estamos falando do mesmo Saulo? Estamos falando de Saulo de Tarso?”

Mas Deus falou a Ananias, "Vá! Este homem é meu instrumento escolhido para levar o meu nome perante os gentios e seus reis, e perante o povo de Israel. Mostrarei a ele o quanto deve sofrer pelo meu nome". (Atos 9:15-16)

Então Deus trouxe outro homem para a vida de Saulo (ou Paulo). O seu nome era Barnabé, e ele pessoalmente introduziu Paulo a todos os outros discípulos e confirmou que sua conversão era sincera.

Atualmente muitos de nós gostaríamos de ser como Paulo. Gostaríamos de transformar vidas. Mas a pergunta é: Quantos de nós gostaríamos de ser como Ananias ou Barnabé?

Você pode não ser o próximo Paulo. Você pode não ser o maior dos pastores, mas pode ter um grande impacto na vida de quem o será. Esta pessoa que você leva debaixo de suas asas pode transformar o mundo.

O que Barnabé fez é um bom exemplo do verdadeiro discipulado. Não se trata apenas de ensinar; mas de ser um amigo. (Devocionais)

sexta-feira, 8 de maio de 2015

A HUMANIDADE DE JESUS - Professor Pádua (Ultimato)


Quando aqui na terra, Jesus se apresentava como Filho de Deus e como Filho do homem. Ele não era ora Filho de Deus e ora Filho do homem. Era ao mesmo tempo Filho de Deus e Filho do homem.

Quando se dizia Filho de Deus, Jesus estava se referindo à sua divindade. Quando se dizia Filho do homem, Ele estava se referindo à sua humanidade.

Apenas como Deus, Jesus não poderia ser visto por olhos humanos, nem ser tocado por mãos humanas. Apenas como homem, Ele não poderia transformar água em vinho, nem andar sobre a água do mar, nem ressuscitar mortos. Porém, como Deus e como homem, Jesus podia fazer todas essas coisas e muito mais.

Para ser Filho do homem, Jesus não poderia fingir que era homem. Ele precisava ter um corpo igual ao corpo humano — um corpo que precisasse de água, de comida e de sono; um corpo que fosse formado e entretecido no ventre de uma mulher e só viesse à luz do sol nove meses depois, na forma de um bebê. A isso dá-se o nome de encarnação (Jo 1.14). Para chegar a esse ponto, Jesus precisou descer dos céus, se esvaziar da plenitude de sua glória, se humilhar e assumir a forma humana (Fp 2.5-8). Uma vez Filho do homem, Jesus aceitou a obrigação da circuncisão, da apresentação, do batismo, da tentação e, até mesmo, do pagamento de impostos.

A história da humanidade de Jesus começou em Nazaré da Galiléia, com a visita do arcanjo Gabriel a Maria. Logo depois disso, ainda solteira e virgem, essa jovem ficou grávida de Jesus. O nascimento da criança aconteceu em Belém da Judéia, pertinho de Jerusalém. Naquela noite, uma multidão de anjos apareceu no céu para louvar a Deus pelo que estava acontecendo. Eles disseram: “Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens aos quais Ele concede o seu favor”. Quando se tornou Filho do homem, Jesus não deixou de ser Filho de Deus.

Como Filho do homem, Jesus nasceu depois de João Batista; mas, como Filho de Deus, Ele era mais velho do que João. Como Filho do homem, Ele era filho de Maria; mas, como Filho de Deus, era mais velho que ela. Jesus viveu 700 anos depois do profeta Isaías, 1.000 anos depois do rei Davi, 1.500 anos depois de Moisés e 2.000 anos depois do patriarca Abraão. Mas, como Filho de Deus, Jesus era mais velho do que todos eles (Jo 8.58).

Como Filho do Homem, Jesus nasceu em Belém no ano 6 a.C. Mas, como Filho de Deus, Jesus é antes de todos e de tudo (Jo 1.1-5). Como Filho do homem, é possível mencionar as idades de Jesus: ao oitavo dia foi circuncidado, ao quadragésimo dia foi apresentado no templo, aos 12 anos assentou-se com os mestres judaicos e aos 30 iniciou o seu ministério público. Mas, como Filho de Deus, essa cronometragem é impossível e sem sentido porque Jesus está fora do tempo.

Por ser, ao mesmo tempo, Filho de Deus e Filho do homem, Jesus é a pessoa mais importante do mundo. Antes e depois dele ninguém foi tão importante. (Ultimato)

CHEIOS DE COMPAIXÃO - Professor Pádua


"Ao ver as multidões, teve compaixão delas, porque estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor." (Mateus 9:36)

Uma das coisas mais importantes nas pessoas que Deus usa é a Motivação. Sem motivação, não se faz quase nada.

Quando se trata da nossa fé e de alcançar outros para o evangelho, vivemos dando desculpas sobre o por que não conseguimos fazê-lo. Mas, na realidade a razão pela qual os cristãos não compartilham a sua fé com outros é que não querem incomodar-se com isso. Falta-nos uma simples, básica responsabilidade e preocupação.

Vejamos o que motivava Jesus quando Ele via as necessidades das pessoas:

"Ao ver as multidões, teve compaixão delas, porque estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor. Então disse aos seus discípulos: 'A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Peçam, pois, ao Senhor da seara que envie trabalhadores para a sua seara'" (Mateus 9:36-38).

Dá para ver esse padrão de compaixão ao longo de todo o ministério de Jesus. Ele via as necessidades mais profundas das pessoas. Via onde elas sofriam mais. Via por trás da fachada. Via o verdadeiro grito do coração. Via-as como ovelhas sem pastor e tinha compaixão delas.

Para ser usado por Deus, você terá que desenvolver compaixão pelos perdidos. Não é objetivo de Deus nos fazer cada vez mais parecidos com o Seu próprio e querido Filho?

A Bíblia diz: "Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus" (Filipenses 2:5). Devemos imitar o Senhor, tendo também essa compaixão.

Nos abençoe!
a) Siga-nos no blog - http://professorpadua.blogspot.com.br/
b) Curta a nossa página - https://www.facebook.com/pages/Professor-Pádua/163391750483474
c) Nos ADD - https://www.facebook.com/professorpadua.ipb

sábado, 2 de maio de 2015

SENDO USADO POR DEUS - Professor Pádua


"Para que ninguém se vanglorie diante Dele." (1 Coríntios 1:29)

Quais as qualidades que Deus procura na pessoa que pretende usar? Ele está à procura de um grande intelecto? De alguém com muitos certificados dependurados em sua parede? De um líder nato?

Em toda a Escritura e em toda a história da igreja cristã, Deus tem feito coisas inesperadas com pessoas inesperadas. Ele tem feito coisas extraordinárias através de pessoas comuns.

Ele escolheu Davi, um jovem pastor, para liderar a nação de Israel. Ele queria alguém para liderar um exército e escolheu um covarde: Gideão. É quase como se o Senhor se desviasse de seu caminho para escolher e ressuscitar alguém.

O apóstolo Paulo explicou para a igreja em Corinto que Deus escolhe as pessoas comuns para que todos possam ver que a glória pertence a Ele:

"Irmãos, pensem no que vocês eram quando foram chamados. Poucos eram sábios segundo os padrões humanos; poucos eram poderosos; poucos eram de nobre nascimento. Mas Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios, e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes. Ele escolheu as coisas insignificantes do mundo, as desprezadas e as que nada são, para reduzir a nada as que são, para que ninguém se vanglorie diante Dele." (1 Coríntios 1: 26-29)

Quando eu cheguei a Cristo, não era um astro do esporte, um músico de rock ou alguém importante. Eu era apenas um confuso garoto de 17 anos. O trabalho de Deus é o grande responsável por todas as coisas boas que aconteceram em minha vida.

Deus pode usar pessoas comuns para tocar o mundo. Deixe que Ele o use e veja o que Ele pode fazer!

TEMPESTADES - Professor Pádua


"De todos os lados somos pressionados, mas não desanimados; ficamos perplexos, mas não desesperados; somos perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não destruídos." (2 Coríntios 4:8-9)

Tempestades sempre virão em nossas vidas. A questão não é saber se virão, mas quando virão. Pra falar a verdade, estamos sempre entrando ou saindo de uma.

Espero que isso não lhe desanime, porque é melhor estar numa tempestade com Jesus, do que em qualquer outro lugar sem Ele.

Uma das funções das tempestades e das provações em nossas vidas é tornar-nos mais fortes espiritualmente. Por causa de uma tempestade, uma tentação ou uma dificuldade, aprendemos coisas que não poderíamos aprender de nenhuma outra maneira.

Perto do final do livro de Atos, Paulo estava fazendo sua última viagem a Roma, porque havia apelado para César. Enquanto eles viajavam, uma tempestade terrível caiu sobre eles e todos se desesperaram. Lucas descreveu o fato desta forma: "Não aparecendo nem sol nem estrelas por muitos dias, e continuando a abater-se sobre nós grande tempestade, finalmente perdemos toda a esperança de salvamento." (Atos 27:20).

Mas o Senhor enviou o Seu anjo para falar com Paulo, dando-lhe a capacidade de encorajar os outros a bordo: "Mas agora recomendo-lhes que tenham coragem, pois nenhum de vocês perderá a vida; apenas o navio será destruído. Pois ontem à noite apareceu-me um anjo do Deus a quem pertenço e a quem adoro, dizendo-me: ‘Paulo, não tenha medo. É preciso que você compareça perante César; Deus, por sua graça, deu-lhe as vidas de todos os que estão navegando com você’. Assim, tenham ânimo, senhores! Creio em Deus que acontecerá do modo como me foi dito." (Atos 27:22-25)

Isso não quer dizer que não vamos ter belos momentos e até mesmo momentos de relativa tranquilidade. Nem todos os ventos que sopram na vida são devastadores. O registro da viagem de Paulo antes daquela grande tempestade dizia: "O vento sul soprava suavemente" (verso 13).

Demos graças a Deus por esses momentos em que o "vento sopra suavemente." Esses momentos em que podemos sentir o calor do sol em nossos ombros e que está tudo bem. Mas é importante lembrar que há sempre uma tempestade vindo mais a frente!

As pessoas pensam que quando se age conforme a vontade de Deus, vai se estar sempre num "mar de rosas". Isso certamente não foi verdade para Paulo. Ele parecia enfrentar todo tipo de adversidade que se possa imaginar. Ele tinha inimigos que tentaram prejudicar e até mesmo destruí-lo por inveja. Ele teve contratempos inumeráveis na vida como espancamentos e lesões físicas. Ele também tinha uma deficiência física pessoal, pela qual orou para ser curado, mas nunca foi.

Ainda assim, ele foi capaz de dizer: "De todos os lados somos pressionados, mas não desanimados; ficamos perplexos, mas não desesperados; somos perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não destruídos." (2 Coríntios 4:8-9).

OS HUMILHADOS SERÃO EXALTADOS? EM QUE BÍBLIA ESTÁ ESCRITO? - Professor Pádua


Desde ontem que vejo essa imagem ridícula e feita por um analfabeto bíblico, um tal de Davi Morgado, e compartilhada por crentes carentes de aprendizado.

É triste que muitas pessoas só peguem esses versículos e resumem em " Os humilhados serão exaltados". E sempre que dizem isso é com um tom de vingança. Alguem errou com você ai você olha com raiva e diz "Os humilhados serão exaltados!" isso é a mesma coisa que dizer "Vai ter volta !". Como se Deus aprovasse vingança. Aliás esse texto nunca falou que "os humilhados serão exaltados" e nenhum outro texto da minha bíblia diz isso e na sua ? Lógico que não ! Essa frase deturpa as palavras de Jesus.

Crente, leia Lucas 14.8-11 e Lucas 18.10-14, e em vez de memorizar chavões, decore 14.11 e 18.14. Em ambos os textos está escrito assim:

Lucas 14.11 – “Pois todo o que se exalta será humilhado; e o que SE humilha será exaltado”.

Lucas 18.14 – “Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que se exalta será humilhado; mas o que se humilha será exaltado”.

Aprenda! Não são os humilhados, e sim, os que a SE MESMO SE HUMILHAM!

O que eu observo, é que estamos inseridos numa geração pragmática, onde vigora o “funciona”, uma geração que busca resultados imediatos, mas sem estrutura, sem cerne, sem fundamento sólido. Uma geração que tem edificado sobre a areia, que não tem sustentação e nutrição. Temos uma crescente influência da “cultura gospel”, que transforma artistas em ícones e gurus que através de redes sociais tem ‘discipulado’ muitos e a Bíblia, a Palavra de Deus, tem sido colocada em último lugar.

A palavra de Deus exorta: “Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.” Josué 1.8

Devemos estudá-la: “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam.” João 5.39

Devemos julgar qualquer ensino pelas Escrituras: “Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.” Atos 17.11

Devemos ser praticantes da Palavra: “E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.” Tiago 1.22

PERDÃO - Professor Pádua


"E como o Oriente está longe do Ocidente, assim ele afasta para longe de nós as nossas transgressões." (Salmos 103:12)

O homem paralítico, que fora levado por seus amigos a Jesus em busca de cura, foi baixado através de um buraco no teto (Lucas 5:17-26). Ele estava deitado em seu leito bem na frente de Jesus. Jesus olhou para ele. Todos os olhos no quarto estavam neste homem. Então ele olhou para os olhos do Deus encarnado.

Vendo a fé que eles tinham, Jesus disse: "Homem, os seus pecados estão perdoados" (Lucas 5:20).

Acredito que quando este homem olhou nos olhos de Jesus, ele sabia que aquelas palavras eram verdadeiras. Ele sabia que Jesus havia perdoado os seus pecados. Ele não tinha mais medo.

O verbo usado aqui para a palavra perdoado tem o mesmo significado de jogar alguma coisa para longe. "Seus pecados estão afastados de você", foi o que, em suma, Jesus disse.

O rei Davi escreveu: "E como o Oriente está longe do Ocidente, assim ele afasta para longe de nós as nossas transgressões" (Salmo 103:12).

Da mesma forma, eu quero dizer-lhe: você não tem nada a temer. Você pode ser perdoado também. Quando você vem para Jesus, Ele afasta todos os seus pecados de você para tão longe quanto é a distância entre o leste e o oeste!

JESUS ESTÁ VOLTANDO OU JESUS VOLTARÁ? - Professor Pádua


Como realmente caminho na contramão, aqui vai a minha explicação sobre o porquê de que discordei da frase "Jesus está voltando".

A expressão "Jesus está voltando" biblicamente falando está errada! Jesus não esta voltando, Jesus voltará! Portanto, o Correto é: "Jesus Voltará". Do ponto de vista gramatical "voltando" está no gerúndio, ou seja, uma ação em andamento. Quando você fala Jesus esta voltando, da a impressão que ele esta de viagem, esta vindo a algum tempo e ainda não conseguiu chegar.

Contudo, a Bíblia diz claramente que Jesus Voltará:

1. Jesus voltará como um ladrão, significa que Ele não vai avisar. Um ladrão não avisa que vai roubar uma casa (Estou chegando), pois, se avisasse, ficaríamos preparados esperando. O conceito do retorno de Cristo como um ladrão na noite vem de Mateus 24:43: "Sabei, porém, isto: se o dono da casa soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa." Os elementos essenciais da advertência de Jesus é que ninguém sabe quando Ele voltará, e temos que estar em um estado de preparação, sempre esperando pelo Seu retorno iminente. Jesus advertiu que devemos estar sempre preparados porque ninguém senão o Pai sabe a hora do Seu retorno (Mateus 24:36-44; 1 Ts 4.13-5.4).

A natureza repentina deste evento é descrita em 1 Coríntios 15:51-54 como "num momento, num abrir e fechar de olhos." Não haverá nenhum aviso da vinda de Cristo, assim como um ladrão na noite vem sem aviso. Portanto, Mateus 24:44 noz diz que devemos ficar "também vós apercebidos; porque numa hora em que não penseis, virá o Filho do homem."

3. Se analisarmos a palavra maranata, (do original em hebraico מרנא תא, maranâ tâ, "vem, Senhor!") é uma expressão aramaica que ocorre duas vezes na Bíblia. Primeiramente empregada pelo apóstolo Paulo na 1 Coríntios 16.22 (Se alguém não ama ao Senhor, seja anátema. Maranata.), o termo é a composição de duas palavras, que transliteradas dão origem à palavra Maranata e que significa "O Senhor vem!" ou ainda "Nosso Senhor vem!". No desfecho do livro do Apocalipse, a mesma expressão é utilizada como uma oração ou pedido, desta feita na língua grega, e traduzida por: “Vem, Senhor”.

“Servos de Deus a trombeta tocai
Breve Jesus Voltará
A todo mundo a mensagem levai
Breve Jesus Voltará
Breve Virá, Breve Virá
Breve Jesus Voltará
Breve Jesus Voltará” (Grupo Som e Louvor)