domingo, 20 de maio de 2007

Coisas de Deus

Tudo o que Deus faz é bom !
Há muito tempo, num Reino distante, havia um Rei que não acreditava na bondade de Deus. Tinha, porém, um empregado que sempre lhe lembrava dessa verdade. Em todas situações dizia:
- Meu Rei, não desanime, porque Deus é bom !

Um dia, o Rei saiu para caçar juntamente com seu empregado, e uma fera da floresta atacou o Rei. O empregado conseguiu matar o animal, porém não evitou que sua Majestade perdesse o dedo mínimo da mão direita.
O Rei, furioso pelo que havia acontecido, e sem mostrar agradecimento por ter sua vida salva pelos esforços de seu empregado, perguntou a este:
- E agora, o que você me diz? Deus e bom? Se Deus fosse bom eu não teria sido atacado, e não teria perdido o meu dedo.
O empregado respondeu:
- Meu Rei, apesar de todas essas coisas, somente posso dizer-lhe que Deus é bom, e que mesmo isso, perder um dedo, é para seu bem!
O Rei, indignado com a resposta do empregado, mandou que fosse preso na cela mais escura e mais fétida do calabouço.

Após algum tempo, o Rei saiu novamente para caçar e aconteceu dele ser atacado, desta vez por uma tribo de índios que vivia na selva. Estes índios eram temidos por todos, pois sabia-se que faziam sacrifícios humanos para seus deuses.
Mal prenderam o Rei, passaram a preparar, cheios de jubilo, o ritual do sacrifício. Quando já estava tudo pronto, e o Rei já estava diante do altar, o sacerdote indígena, ao examinar a vitima, observou furioso:
- Este homem não pode ser sacrificado, pois é defeituoso! ... Falta-lhe um dedo!"

E o Rei foi libertado.
Ao voltar para o palácio, muito alegre e aliviado, libertou seu empregado e pediu que viesse em sua presença. Ao ver o empregado, abraçou-o afetuosamente dizendo-lhe:
- Meu Caro, Deus foi realmente bom comigo! Você já deve estar sabendo que escapei da morte justamente porque não tinha um dos dedos. Mas ainda tenho em meu coração uma grande duvida: Se Deus e tão bom, por que permitiu que você fosse preso da maneira como foi? ....Logo você, que tanto O defendeu!?

O servo sorriu e disse:
- Meu Rei, se eu estivesse junto contigo nessa caçada, certamente seria sacrificado em teu lugar, pois não me falta dedo algum!

Meus irmãos e amigos, as vezes precisamos compreender, o porque que Deus nos tira um dedo?

Aceitando as pessoas como elas são

Um menino entrou em uma loja de animais e pergunta o preço dos filhotes à venda. "Entre 30 e 50 reais", respondeu o dono da loja.
O menino puxou uns trocados do bolso e disse: "Eu só tenho 2 reais e cinqüenta centavos, mas eu posso ver os filhotes?"
O dono da loja sorriu e chamou Lady, que veio correndo, seguida de cinco bolinhas de pêlo. Um dos cachorrinhos vinha mais atrás, mancando de forma visível. Imediatamente o menino apontou aquele cachorrinho e perguntou: "O que é que há com ele?"
O dono da loja explicou que o veterinário tinha examinado e descoberto que ele tinha um problema na junta do quadril, sempre mancaria e andaria devagar.
O menino se animou e disse: "Esse é o cachorrinho que eu quero comprar!"
O dono da loja respondeu: "Não, você não vai querer comprar esse. Se você realmente quiser ficar com ele, eu lhe dou de presente."
O menino ficou transtornado e, olhando bem na cara do dono da loja, com o seu dedo apontado, disse: "Eu não quero que você o dê para mim. Aquele cachorrinho vale tanto quanto qualquer um dos outros e eu vou pagar tudo. Na verdade, eu lhe dou 2 reais e cinqüenta centavos agora e 5 reais por mês, até completar o preço total."
O dono da loja contestou: "Você não pode querer realmente comprar este cachorrinho. Ele nunca vai poder correr, pular e brincar com você e com os outros cachorrinhos."
Aí, o menino abaixou e puxou a perna esquerda da calça para cima, mostrando a sua perna com um aparelho, ou seja uma prótese para andar. Olhou bem para o dono da loja e respondeu: "Bom, eu também não corro muito bem e o cachorrinho vai precisar de alguém que entenda isso."
Muitas vezes desprezamos as pessoas com as quais convivemos diariamente, simplesmente por causa dos seus "defeitos", quando na verdade, somos tão iguais ou piores do que elas e sabemos que essas pessoas precisam apenas de alguém que as compreendam e as amem não pelo que elas podem fazer, mas pelo que são.

domingo, 6 de maio de 2007

Ele vai ser forte por você!

Há momentos na vida em que nos sentimos completamente sem forças para lidar com aquilo que se apresenta em nosso caminho. Isaías, o profeta, escreveu, que até os jovens de cansados caem.

Algumas vezes, estamos lutando há tanto tempo, dando o melhor de nós e nos esforçando até o limite das nossas forças, mas parece que não é o suficiente. É a hora em que parece que a "corda" vai arrebentar e vamos cair direto na voragem do mar revolto.

Já se sentiu assim? Como se suas forças estivessem, apenas, "por um fio"? Como se o conjunto de tudo que está vivendo fosse acima de sua capacidade de administrar ou suportar? É aí que eu lembro quando Paulo escreveu que Deus não deixará que sejamos tentados acima das nossas forças, mas, juntamente, com a tentação ou a provação nos dará o escape, para que a possamos suportar.

É quando eu nem percebo que Deus está bem por baixo de mim; me sustentando para que eu não caia. Eu estou cansado, exaurido, física, mental e emocionalmente; mas Ele está sendo forte por mim!

É um milagre que não conseguimos perceber no momento, mas só depois que as ondas começam a se aquietar por um pouco. É só aí que você percebe que ainda está vivo porque Deus esteve ao seu lado.

Paulo viveu uma situação em sua vida em que ele encontrou forças em Deus para superar suas fraquezas. A princípio, ele não entendia por que Deus não mudava a situação e lhe dava a vitória. Ele pensava que vitória sempre é sinônimo de mudança de circunstâncias. Mas, algumas vezes, a vitória está em conseguir administrar aquelas circunstâncias que não mudam. É quando o poder de Deus se aperfeiçoa em nossa fraqueza. É quando eu estou fraco, mas ainda assim, surpreendentemente, sou forte.

São as surpresas que só Deus pode fazer acontecer. Você está chorando, mas ainda assim, ajudando alguém que está sofrendo mais do que você. É pobre, mas é capaz, de sua profunda pobreza, compartilhar e dividir com alguém, ainda mais pobre, e tirar de sua pobreza uma extraordinária expressão de generosidade. Nada tem para si mesmo, e ao mesmo tempo, possui tudo, porque, tudo é nosso e nós de Cristo e Cristo de Deus.

Há momentos, que ou Deus nos sustenta, ou nós caímos. Ou, Ele se faz a nossa paz, o nosso conforto, a nossa alegria, o nosso cântico, a nossa esperança, a nossa força, a nossa vida, ou nós sucumbimos diante de tantas pressões e angústias. Mas, é aí que eu percebo que Ele é o grande El Shadday: o Deus Todo Poderoso, ou o Deus de quem eu posso sugar vida para mim mesmo.

Dizem alguns estudiosos que a palavra shadday vem da mesma raiz da palavra que se refere ao seio de uma mãe que está amamentando. Daí, poderíamos dizer que Deus é aquele que nos supre. Ele é Aquele que nos sustenta. Ele é Aquele de quem recebemos o que necessitamos como vital para as nossas vidas. Como a mãe que consola o filho que ainda amamenta, assim Deus nos consola com Seu amor e Sua misericórdia.

Há momentos em que até o soldado mais forte se dobra. Há momentos em que até o atleta mais bem preparado se cansa. Mas, é em momentos assim que Ele é forte por nós. Os que esperam no Senhor renovarão suas forças. Podem estar no limite delas, mas, nEle, renovarão suas forças.
Quando derramamos nossas orações, nossas lágrimas, nossas angústias, nossos louvores diante de Deus, de algum modo, Ele vem e nos toca. Pode parecer que nada está acontecendo, no momento; mas, depois de algum tempo, começamos a perceber, que algo aconteceu dentro de nós. Há alguém nos sustentando na nossa fraqueza. Estamos sendo carregados no colo do Pai.
E como diz naquele poema famosíssimo chamado "Pegadas na areia", quando não vemos mais as pegadas de Deus ao lado das nossas na areia da vida, é porque as únicas pegadas que estamos vendo são as dEle - nós estamos em Seu colo.

Minha oração é que de algum modo, esses pensamentos tão simples possam abençoar a vida de alguém que precisa que Deus seja forte por ele.

terça-feira, 1 de maio de 2007

A Face de Deus


Os seres humanos não têm permissão para ver a face de Deus. As Escrituras advertem que ninguém pode vê-lo e continuar vivo. Lembremos o pedido de Moisés quando subiu a montanha santa. Ele havia sido testemunha de milagres surpreendentes. Ouvira a voz de Deus falando com ele da sarça ardente. Vira o rio Nilo tornar-se sangue. Provara o maná dos céus. Contemplara a coluna de nuvem e a de fogo. Vira as carruagens de faraó inundadas pelas águas do Mar Vermelho. No entanto ainda não estava satisfeito. Queria mais. Anelava por uma experiência espiritual suprema. Então pediu ao Senhor na montanha que lhe permitisse ver sua face: “Rogo-te que me mostres a tua glória”. Contudo Deus não atendeu ao seu pedido e respondeu-lhe:

“Farei passar toda a minha bondade diante de ti e te proclamarei o nome do SENHOR; terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia e me compadecerei de quem eu me compadecer. E acrescentou: Não me poderás ver a face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá. Disse mais o SENHOR: Eis aqui um lugar junto a mim; e tu estarás sobre a penha. Quando passar a minha glória, eu te porei numa fenda da penha e com a mão te cobrirei, até que eu tenha passado. Depois, em tirando eu a mão, tu me verás pelas costas; mas a minha face não se verá” (Ex 33.19-23).

Contudo, a principal meta de todo cristão é poder ver o que foi negado a Moisés. Queremos encará-lo face a face. Queremos aquecer-nos na glória radiante de seu semblante divino. Essa era a esperança de todo judeu; uma esperança instilada pela bênção que Israel mais conhecia e amava.

“O SENHOR te abençoe e te guarde; o SENHOR faça resplandecer o rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; o SENHOR sobre ti levante o rosto e te dê a paz” (Nm 6.24-26).

Essa esperança, cristalizada na bênção de Israel, torna-se uma promessa para o cristão. João, em sua primeira carta, diz:

“Amados, agora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque haveremos de vê-lo como ele é” (I Jo 3.2).

A promessa de Deus é que o veremos como ele é. Os teólogos chamam essa expectativa de visão beatífica. Isso significa que um dia contemplaremos face a face. Não veremos a glória refletida em uma sarça ardente nem uma coluna de fogo, mas o conheceremos como ele é de fato em sua pura essência divina.

Agora é impossível vermos Deus em sua essência pura. Para que isso pudesse acontecer, precisaríamos ser purificados. Quando Jesus ensinou as bem-aventuranças, prometeu a visão de Deus a um grupo distinto:

“Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus” (Mt 5.8).

Ninguém neste mundo é puro de coração. É a nossa impureza que nos impede de ver a Deus. O problema não está em nossos olhos, mas em nosso coração. Só poderemos contemplar Deus face a face depois que formos purificados e totalmente santificados nos céus.

Enquanto isso: “E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim como ele é puro” (I Jo 3.3).