domingo, 25 de outubro de 2015

A TEOLOGIA DA GRAÇA - Tito 2.11-15 (Esboço de sermão)


Sermão ministrado na Igreja Evangélica Congregacional Família Viva
Salgado de São Félix - PB

INTRODUÇÃO

Encontramos certamente duas linhas de pensamentos, quanto a salvação do homem:
1. Há os que acham que ninguém pode dizer que está salvo.
2. Há os que acham que uma pessoa é tão má que não pode ser salva e viver uma vida agradável a Deus.

Contudo, os dois pensamentos são resultados de mentes cauterizadas, endurecidas e ignorantes ao que venha ser a Graça de Deus. A palavra graça (Gr. Karis), aparece de 100 vezes nos escritos paulinos, sempre indicando que é um ato exclusivo de Deus em dá início ao processo de salvação e providenciar os meios necessários para a salvação do homem.

No presente texto, encontramos a mensagem que a graça de Deus, além de salvar o homem da condenação eterna, ainda o instrui a viver uma vida justa de acordo com a Palavra de Deus.


I. GRAÇA – TERMOS TEOLÓGICOS


O que é a graça de Deus?

Dwight Pentecost, diz que: “A graça é a resposta de Deus à necessidade do homem. Deus é antes de tudo o Deus da graça, e desse Deus misericordioso vem múltiplas graças que suprem todas as nossas necessidades”. (Dwight Pentecost – A Sã Doutrina).

O Dicionário de Teologia Bíblica, afirma que: “Graça é atividade salvadora de Deus, que decidida desde a eternidade, se tornou manifesta e eficaz na obra redentora de Cristo em favor dos homens”. (Dicionário de Teologia Bíblica, Edições Loyola, Vol. 1, pag. 453).

Portanto, graça, é a imerecida compaixão de Deus para com o pecador. Paulo escrevendo aos efésios nos mostra por que a graça é um ato imerecido.

Os homens por natureza estão:
1. Morto Espiritualmente, Ef 2.1
2. Escravos de Satanás, Ef 2.2
3. Filhos da Ira, Ef 2.3

Contudo, o apóstolo Paulo pinta esse quadro, para que o homem entenda que por si mesmo está totalmente condenado e separado de Deus. Mas, Deus em seu grande amor e compaixão manifesta a sua bondosa graça, que produz salvação, Ef 2.8


II. A GRAÇA E O SEU CONTEÚDO

O conteúdo da graça de Deus é a salvação do homem, Tt 2.11

Graça de Deus é a maneira pela qual Deus se dispõe a receber, de braços abertos, o pecador. É uma benção ou um favor imerecido, que Deus concede em sua soberania, nunca em resposta a alguma iniciativa por parte do pecador. Pois, precisamos entender que, o homem por si mesmo, ele nunca vai aceitar a Cristo.

Por que? Por dois grandes motivos:

1. Ele está morto espiritualmente, Ef 2.1 - Alguém morto não tem afetos e vontades.

2. Ele só vai sentir a necessidade de Deus:
a) Quando tocado pelo Espírito Santo, Jo 16.8
b) Quando conduzido a Jesus, através do Pai, Jo 6.44-45; 15,16

Portanto, Deus não tem nenhuma obrigação de perdoar. Ninguém tem o direito de cobrar tal coisa de Deus. Ele, no entanto, perdoa por causa da graça. É iniciativa de Deus.


III. OS EFEITOS DA GRAÇA

“educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente. (Tt 2.12)

Louis Berkhof, escreveu: “A graça remove a culpa e a penalidade do pecado, muda a vida interior do homem, e gradativamente o purifica da corrupção” (Louis Berkhof – Teologia Sistemática).

A graça de Deus salva o homem lhe dando educação. E esta educação se manifesta em dois aspectos:

1. “renegadas a impiedade e as paixões mundanas...” - A palavra impiedade indica uma vida impura, imoral e degradante, e vai mais a fundo ao significar “desprezo pelas coisas de Deus”. O homem alcançado pela graça de Deus ela começa a repudiar todas as práticas que venha agredir a santidade de Deus.

2. “vivamos no presente século, sensata, justa e piedosamente...” - O homem alcançado pela graça divina passa a viver com discrição, passa viver de forma correta e justa. Não há ser humano, por mais ruim que seja, que não possa, ser alcançado pela graça divina.

1. Zaqueu era ladrão e passou a ser considerado um filho de Abraão.
2. Madalena, uma mulher que tinha sido escrava de espíritos malignos, fora transformada em primeira missionária.
3. Paulo, o fariseu e perseguidor da igreja, o Senhor Jesus o transformou no maior apóstolo de todos os tempos.

O pior pecador pode experimentar este milagre e ter a sua vida transformada. A graça pode alcançar os pecadores que foram longe demais, pois: “onde o pecado abundou, superabundou a graça;" (Rm 5.20)


CONCLUSÃO

A grande estrada de comunicação entre o céu e a terra não pode ser construída daqui pra lá, pois o homem não tem condição de chegar a Deus, por que os seus pecados o separam de Deus. A grande estrada de comunicação entre o céu e a terra, é construída de lá pra cá, por obra e graça de Deus, Jo 3.16

Portanto, uma vez alcançado por esta graça, o homem:
1. Vai enxergar o Dom de Deus;
2. Vai se arrepender dos seus pecados;
3. Vai obter a fé salvadora
4. Vai herdar a vida eterna

Nenhum comentário: