sábado, 17 de maio de 2014

SAUDADE DE DEUS


Dedico este texto a uma mui amada filha de Deus, que no seu status escreveu:

"Não iriam entender que vez em quando a gente fica triste sem motivo, ou pior ainda, sem saber sequer se está mesmo triste" - Isabelly Sabrinny.

Minha irmã, essa suposta "tristeza" é aquilo que chamamos de SAUDADE. 

Não é a saudade de entes queridos, como a saudade de Jacó da casa de seu pai, depois de 20 anos de exílio (Gn 31.30). 

Não é a saudade dos esposos que estão momentaneamente separados (Ct 7.10).

Não é a saudade do pastor de suas ovelhas queridas, como a de Paulo e a de Epafrodito da igreja dos filipenses (Fp 1.8 e 2.26). 

Não é a saudade da pátria amada, como a saudade insuportável que os desterrados em Babilônia tinham de Israel (Jr 22.27), a ponto de dependurar suas harpas nos salgueiros que lá havia e negarem-se a entoar o canto do Senhor em terra estranha (Sl 137.1-6). 

Não é a saudade histórica, a saudade de um tempo que já se foi para sempre, a saudade de um passado mais alegre, mais feliz, mais tranqüilo.

Não é a saudade da situação anterior à perda de todos os bens de uma hora para outra, anterior à morte dos filhos, anterior à doença, anterior à desgraça, como aconteceu com Jó. Por mais dolorosa que seja a saudade descrita pelo homem da terra de Uz (Jó 29.1-25), na qual ele contrasta com sofrimento a situação presente com a situação passada, essa ainda não é a plenitude da saudade. 

Essa suposta "tristeza" é uma saudade mística, aquela saudade estranha, aquela saudade escondida, de Deus. É a saudade mais remota, mais generalizada, mais natural, mais constante, mais duradoura, mais bela e também mais incômoda. Essa saudade está apegada à alma de todos os seres humanos, em todos os lugares e em todos os tempos. Felizes são aqueles que não a negam nem a repelem. É ela que provoca aquela sede incontida de Deus: “Eu tenho sede de ti, o Deus vivo! Quando poderei ir adorar na tua presença?” (Sl 42.2 BLH). O homem é religioso só por causa da plenitude da saudade. Movimento algum, filosofia alguma, ideologia alguma, poder algum, nação alguma não têm destruído o sentimento religioso em tempo algum por causa dessa bendita saudade de Deus, arraigada no mais interior do ser humano, desde a sua criação à imagem e semelhança dele!

PORTANTO, QUANDO VOCÊ ESTIVER ASSIM, DIGA:
"ESTOU COM SAUDADE DE DEUS".

Nenhum comentário: