sábado, 5 de abril de 2014

TRISTEZA


Uma grande fonte de TRISTEZA são os acontecimentos que nos sobrevêm. Neste caso, se é o seu caso, então, não farei como os amigos de Jó, pelo que não lhe trarei nenhum peso adicional, dizendo, por exemplo, que a culpa é sua.

Mas direi que lhe cabe perguntar-se: "Desde quando estou triste? Foi um acontecimento difícil (uma perda, uma enfermidade) que me roubou o prazer de viver? "

Não faça de conta que não está triste, porque está e deve estar. Jesus mesmo se entristeceu ao ponto de suar sangue.

Então, se um fato (ou uma sucessão imediata deles) tornou você uma pessoa triste, lembre-se que o luto (não importa qual seja a razão do choro, tendo morrido alguém ou não) é uma experiência necessária, que começa com o reconhecimento da perda, mesmo sob protestos veementes, e segue a passos lentos, até à retomada da vida. 
A alegria retorna na esteira vagarosa da aprendizagem: todos estamos sujeitos a surpresas dolorosas, que não podem ser nossos senhores. Temos Um, sobre Quem a Bíblia diz que a alegria dEle é a nossa força (Neemias 8.10).

Aos poucos, vamos sendo capacitados para retomar nossas atividades, as que forem possíveis, e nos envolver em outras, que nos ajudem a desejar estar com as pessoas, nos mandem sonhar de novo com outras possibilidades de vida e que nos animem a ver que vale a pena viver, admitida a força da saudade. 

Você ainda voltará a entoar canções alegres.
Um dia você olhará para trás e cantará: Senhor, "mudaste o meu pranto em dança, a minha veste de lamento em veste de alegria" (Salmo 30.11).

Nenhum comentário: