segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

DEVEMOS NOS ACAUTELAR DOS FALSOS PROFETAS – Mateus 7.13-20


A conexão entre esta passagem e a anterior é impressionante. Queremos ficar bem longe do “caminho largo”? Então, devemos estar precavidos contra falsos profetas, pois haverão de surgir. Eles começaram a aparecer já nos dias dos apóstolos. Desde aquele tempo as sementes do erro têm sido lançadas. Desde então, eles tem aparecido continuamente. Precisamos estar preparados contra eles, mantendo-nos sempre em guarda.

Esta advertência de que muito precisamos. Há milhares de pessoas que parecem estar sempre prontas a crer em qualquer coisa que ouvirem, desde que venha dos lábios de alguém que tenha o título de ministro religioso. Esquecem-se que um clérigo pode errar, tanto quanto um leigo. Eles não são infalíveis. O que eles ensinam precisa ser confrontado com os ensinamentos das Sagradas Escrituras. Só devemos seguir tais ministros, e crer no que ensinam enquanto as doutrinas por eles ensinadas concordarem com a Bíblia, e nem um minuto a mais. Devemos fazer prova deles, pelos “seus frutos”. Sã doutrina e a vida santa são sinais característicos dos verdadeiros profetas. Lembremo-nos disto. Os erros dos nossos ministros não justificam os nossos próprios erros. “Se um cego guiar outro cego, cairão ambos no barranco” (Mt 15.14).

Qual a melhor salvaguarda contra falsos ensinamentos? Sem sobra de dúvida, a resposta é o estudo regular da Palavra de Deus, sempre acompanhado de uma oração que rogue a iluminação do Espírito Santo. A Bíblia foi nos outorgada para ser uma Lâmpada para os nossos pés e luz para os nossos caminhos (Sl 119.105).  Deus não permitirá que quem a ler corretamente caia em algum erro irremediável. A negligência para com a Bíblia é que faz tantas pessoas se tornarem presas fáceis do primeiro falso mestre que aparecer. Tais pessoas querem nos fazer acreditar que não são “estudados”, nem têm a “pretensão” de terem opiniões bem formadas. A verdade é que são preguiçosos, negligenciam a leitura da Bíblia, e não querem ter o trabalho de pensar por si mesmos. Não existe nada que forneça tantos seguidores para os falsos profetas do que a preguiça espiritual, disfarçada sob uma capa de humildade.

Que todos nós possamos sempre ter em mente a advertência do Senhor! O mundo, o diabo e a carne não são os únicos perigos no caminho cristão. Há ainda um outro: o “falso profeta”, o lobo disfarçado em pele de ovelha. Feliz é quem estuda a Bíblia e ora, e sabe a diferença entre a verdade e o engodo, na religião! Existe uma diferença, e nós deveríamos reconhecê-la muito bem, fazendo uso do conhecimento que nos foi outorgado.

Extraído do Livro “Meditações no Evangelho de Mateus” de J. C. Ryle
Editora Fiel, pág. 49-50.

Nenhum comentário: