sexta-feira, 30 de agosto de 2013

DIREÇÃO PROVIDENCIAL DE DEUS


Tem a ver com o fato de que Deus dirige a cada ser individualmente. Muitas vezes vamos misturar essas divisões uma com as outras, divisões que fazemos para facilitar o entendimento da Doutrina da Previdência, porque na prática, no dia-a-dia, não acontece de Deus estar só provisionando, ou só conservando, ou só dirigindo. Isso tudo acontece na nossa vida o tempo todo, a cada momento. Deus não deixa de concorrer em todas as ações, porque naquele momento está dirigindo alguma outra. Essas divisões são para entendermos as diversas formas que Deus usa para cuidar de tudo aquilo que Ele criou. Já vimos que a conservação tem a ver com a manutenção da vida, da continuidade da vida até quando Deus queira; que a provisão tem a ver com o cuidado e a manutenção do dia-a-dia, o nosso sustento. A direção de Deus está muito ligada à nossa vida de forma individual, o governo tem a ver com a direção que Deus dá a pessoas, enquanto a coletivo a retribuição é como Ele recompensa, e em todas as coisas Deus está concorrendo, ou seja, Deus está em todos os lugares, em todos os momentos em que qualquer coisa aconteça. E qualquer coisa só vai acontecer se for de acordo com os Seus planos. Sempre lembrando que o homem faz tudo de errado por sua livre agência, sua vontade. O fazer errado é algo que Deus vai permitir ou não, se isso fizer sentido para os planos gerais de Deus. Muitas vezes não entendemos, mas sabemos que faz parte dos planos de Deus para o louvor da Sua glória.

Jeremias 10.23 – Eu sei, ó Senhor, que não cabe ao homem determinar o seu caminho, nem ao que caminha o dirigir os seus passos.

O homem não determina o seu caminho e nem dirige os seus próprios passos. Deus está dizendo duas coisas muito importantes: a primeira que não é do homem determinar o seu caminho. Mesmo que o homem reconheça que está em determinado caminho que não é dele, a ele também não cabe dirigir os seus passos. Quer dizer, então, que não temos escolha nenhuma? Aquele que crê no Senhor entrega o seu caminho a Ele. Quem não acredita no Senhor, não acredita nesta frase que acabamos de ler na Bíblia. O homem do mundo acha que é soberano do próprio nariz. Essa direção divina é uma verdade fácil das pessoas dizerem que aceitam, mas, na prática, é muito difícil, porque estamos sempre querendo controlar a nossa vida. Deus não nos trata como robôs, Ele nos deixa fazer escolhas, e, em alguns momentos, Deus nos deixa fazer a escolha errada, desde que esteja dentro do objetivo d’Ele. No final a escolha errada será ruim para o nosso dia-a-dia, mas será útil para o plano de Deus. O que acontece em nossa vida está dentro do plano de Deus.

Provérbios 20.24 – Os passos do homem são dirigidos pelo Senhor; como, pois, poderá o homem entender o seu caminho?

Salomão está dizendo que não cabe ao homem escolher o seu caminho e não cabe, porque no final das contas quem dirige é Deus.

Provérbios 16.1-2,9 – O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do Senhor. Todos os caminhos do homem são puros aos seus olhos, mas o Senhor pesa o espírito. O coração do homem traça o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos.

Não cabe ao homem definir nem dirigir. Então, não tomaremos mais nenhuma decisão, já que é Deus quem dirige? Tomamos decisões em nossa vida. O caminho que escolhemos vamos seguir ou não. Se conseguirmos executar ou não, é porque Deus resolveu que teríamos sucesso ou não. Independente da nossa decisão e independente de qual seja o resultado temos certeza de que Deus está no controle, que serviu para algum propósito d’Ele. Andar de acordo com a vontade de Deus tem a ver com o fato de confiarmos que Deus vai dirigir e se nos humilharmos, se nos colocarmos nas mãos d’Ele, Ele dirigirá. Quando oramos, em nosso coração estamos reconhecendo que somos nada e que estamos nas mãos de Deus. Temos de pedir mesmo, para não tomarmos decisões erradas e Deus deixar acontecer para nosso ensino.

Salmo 25.12,14 – Ao homem que teme ao Senhor, Ele o instruirá no caminho que deve escolher. A intimidade do Senhor é para os que O temem, aos quais Ele dará a conhecer a Sua aliança.

Àquele que teme a Deus, Ele ensina o caminho. Aquele que tem intimidade com o Senhor conhece a Sua aliança. O caminho já está revelado. Aquele que crê no Senhor sabe qual é o caminho, porque Deus assim revelou. Aquele a quem Deus escolheu, Ele amou e deu a Sua intimidade. Todos os crentes têm intimidade com Deus porque Deus lhes deu a Sua intimidade, o que não significa conhecer a Deus profundamente. Esse conhecimento depende do crescimento espiritual. Crescemos espiritualmente aos poucos. Quanto mais conhecemos a Aliança, a Bíblia, mais temos certeza que estamos no caminho da vontade de Deus. Diz a Palavra que temos liberdade para pensar, para planejar, para querer, muitas vezes diferente da disposição de Deus, mas, como diz em Provérbios, Deus pesa o coração, o espírito, Ele sabe as coisas que são adequadas para o Seu plano. O caminho e a direção vêm de Deus.

Isaías 30.18-21 – Por isso, o Senhor espera, para ter misericórdia de vós, e se detém para se compadecer de vós, porque o Senhor é Deus de justiça; bem-aventurados todos os que nele esperam. Porque o povo habitará em Sião, em Jerusalém; tu não chorarás mais; certamente, se compadecerá de ti, à voz do teu clamor, e, ouvindo-a, te responderá. Embora o Senhor vos dê pão de angústia e água de aflição, contudo, não se esconderão mais os teus mestres; os teus olhos verão os teus mestres. Quando te desviares para a direita e quando te desviares para esquerda, os teus ouvidos ouvirão atrás de ti uma palavra, dizendo: Este é o caminho, andai por ele.

O livro de Isaías foi escrito como um alerta ao povo antes da queda de Judá. O profeta Isaías avisou o povo dizendo: “Vocês serão castigados, Judá cairá e vocês serão exilados; vocês vão amargar todos os pecados que cometeram. Não ficarão impunes. Como vocês são o povo de Deus, serão restaurados”. A expressão os teus olhos verão os teus mestres significa que teriam a Palavra de Deus com eles, porque a transmissão era oral.

Amós 8.11 – Eis que vêm dias, diz o Senhor Deus, em que enviarei fome sobre a terra, não de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor.

Amós está dizendo que as pessoas têm fome de conhecer a Palavra. Quando perguntamos qual é o caminho que temos de seguir, precisamos voltar à Bíblia para conhecer. Há pessoas que sentem fome de direção, e o pão é a Palavra de Deus. Não adianta procurar outras pessoas porque a resposta está na Palavra de Deus. Não podemos estabelecer nosso caminho na palavra de outra pessoa, mesmo que essa pessoa seja professor na Escola Dominical. O nosso caminho deve ser estabelecido mediante a Palavra de Deus. Por isso é de suma importância gastarmos tempo no estudo da Bíblia. Quando alguém sente um vazio dentro de si, começa a pensar, enumera as coisas que possui: bens materiais, afeição, posição social, e até pertencer a uma boa Igreja, e indaga a si mesma qual a causa desse vazio, dessa tristeza. A verdadeira felicidade não está naquilo que possuímos ou somos, mas estar seguindo o caminho traçado por Deus.

Isaías 48.17 – Assim diz o Senhor, o teu Redentor, o Santo de Israel: Eu sou o Senhor, o teu Deus, que te ensina o que é útil e te guia pelo caminho em que deves andar.

Isto é importante! Deus nos ensina o que é útil e nos ensina o caminho que deve andar. Aí está a revelação de Deus. Ele mesmo nos revela o caminho que temos de seguir.

Jeremias 31.9 – Virão com choro, e com súplicas os levarei; guiá-los-ei aos ribeiros de águas, por caminho reto em que não tropeçarão; porque sou Pai para Israel, e Efraim é o meu primogênito.

Quando Jeremias escreve esta profecia a desgraça já estava sobre a nação. Israel já fora invadida pelo rei da Babilônia, muitos já estavam no cativeiro e muita crueldade praticada. É no meio dessa tragédia toda que Deus está dizendo: vou trazê-los de volta e vou guiá-los ao lugar melhor e pelo caminho reto.

Jeremias 31.20 – Não é Efraim meu precioso filho, filho das minhas delícias? Pois tantas vezes quantas falo contra ele, tantas vezes ternamente me lembro dele; comove-se por ele meu coração, deveras me compadecerei dele, diz o Senhor.

Efraim. Vamos lembrar: Jacó tem 12 filhos. O filho mais velho de Raquel é José. Raquel era preciosa para Jacó, por causa do seu amor por ela. Aos olhos de Jacó, José era o seu filho primogênito e para Deus também. A lei judaica previa uma herança dobrada para o filho primogênito, ou seja, havendo 12 filhos, a herança é dividida em 13 partes, uma para cada dos 11 filhos, o primogênito leva duas partes. Quando houve divisão da terra, Deus decidiu que uma tribo não teria terra, Levi, a tribo sacerdotal que seria espalhada por toda a nação. As dez tribos recebem a herança e a tribo de José se divide em duas: Manasses e Efraim. Quando o reino foi dividido, Efraim ficou no Reino do Norte, Reino de Israel, que nunca foi fiel a Deus. Judá teve reis fiéis e infiéis, mas Israel só teve reis infiéis. E agora Deus diz: Efraim você é o meu filho. Deus tem misericórdia de quem Ele quer e dirige a quem Ele quer.

A direção providencial não pode fugir dos demais atributos de Deus, portanto a direção providencial de Deus é misericordiosa, porque não merecemos nada. Recordando as palavras da primeira carta de Pedro, temos de nos humilhar diante de Deus porque dependemos da misericórdia de Deus. A direção da nossa vida e a intimidade com o Senhor temos através desse reconhecimento de que nada somos.

A Direção Providencial e a Palavra de Deus e a Oração

A direção providencial é o fato de que Deus está guiando nossos passos. Deus não está só concorrendo com tudo aquilo que fazemos, como está também dirigindo as nossas ações de forma que não contrarie aquilo que está dentro do Seu plano. Isto não significa que vamos fazer coisas ruins e que isto está dentro do plano de Deus, e, por algum motivo, percebemos em curto prazo e às vezes não. Deus dirige e Ele faz de forma direta e de forma indireta. Deus agindo através da Sua Palavra, Ele falando conosco pela Bíblia, é forma direta, e também forma indireta porque é um meio que nós temos, e indireta quando Ele age através da natureza e de todas as coisas criadas. Tudo o que acontece, acontece porque Deus tem um plano a respeito do todo, seja do Universo, seja das nossas vidas. Nunca podemos dizer que Deus não estava conosco quando fizemos alguma coisa errada, porque Deus é Onipresente e Onisciente. Sabemos que Deus não dorme nem cochila Aquele que te guarda (Salmo 121). Por quê aconteceu? Na maioria das vezes não temos uma explicação fácil. Como diz o Salmo 25, precisamos ter intimidade com Deus, de falar com Ele e de ouvir. Nada adianta orar cinco vezes por dia, porque está só falando, é preciso ouvir o que Deus tem para nos falar. A carta aos Hebreus diz que tendo Deus outrora falado pelos profetas, por Jesus, agora fala através da Bíblia, Sua Palavra.

Quando conversamos com Deus sentimos os efeitos colaterais da oração, pois o nosso espírito se acalma, se aquieta. O que queremos é compreender esta direção de Deus. Quando somos íntimos de Deus não só temos a convicção de que Ele dirige, pedimos para que Ele nos dirija, mas esta direção, muitas vezes, para nós não é clara, mas para Deus está muito clara. Nós não sabemos qual decisão tomar, qual o caminho a seguir, então pedimos ao Senhor que nos mostre se é à esquerda, se à direita, o caminho que devo andar. A resposta está na Palavra de Deus. O que devo fazer? Procurar na Palavra de Deus. Ela traz a resposta exata para todas as minhas perguntas? Não, quando se trata de pergunta particular, como por exemplo: que falcudade cursar? Compro a casa? Nesse caso, oramos pedindo ao Senhor que nos oriente e Ele porá em nosso coração a decisão. Essa decisão estará dentro do plano de Deus. A intimidade com Deus nos dá sabedoria para poder julgar, nos dá discernimento. E aí, encontraremos argumentos que tem a ver com o que está escrito na Bíblia. Deus no dá a Sua intimidade através do plano da salvação; fomos escolhidos, redimidos, chamados, e nesse momento Ele está nos dando a intimidade d’Ele. Essa intimidade é limitada para nós, porque não vamos conhecer tudo de Deus. Para fazermos esse caminho ao contrário, preciso conviver diariamente com Deus. A nossa intimidade com o Senhor nos dá capacidade para discernir o que serve para nossa edificação, o que é útil para o nosso relacionamento com Deus, nosso relacionamento com as pessoas. Essa intimidade é pessoal. Deus se relaciona com cada um dos Seus filhos individual e pessoalmente. Embora tenhamos em comum a natureza pecaminosa, Deus nos fez diferentes um dos outros e leva em conta essa diferença. Há também certa economia de Deus em relação a grupos de pessoas. Estudando a respeito do sofrimento, vemos que há sofrimentos gerais, sofrimentos específicos para os crentes, há sofrimentos específicos para os líderes cristãos. A única coisa que temos em comum é o fato de não sermos iguais. Algumas coisas de Deus são iguais para todo mundo: a graça, a misericórdia. Não será a mesma retribuição, porque haverá diferença de galardão para os crentes e diferença de castigo para os incrédulos.

Salmo 23.4 – Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque Tu estás comigo; o Teu bordão e o Teu cajado me consolam.

Ainda que eu ande pelo vale da sombra. Repetimos essas palavras e não prestamos a devida atenção a elas. Quando passamos por dificuldades e sofrimentos, logo pensamos que Deus nos esqueceu. Mas, na verdade, nós que nos esquecemos que temos de passar pelo vale da sombra da morte. Não estamos o tempo todo no vale da sombra da morte e nem nos campos verdejantes e águas de descanso também. A vida com Deus não significa que não teremos dificuldades, mas no meio delas Deus está conosco.

Provérbios 3.17 – Os Seus caminhos são caminhos deliciosos, e todas as Suas veredas, paz.
Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte todos os Seus caminhos são de paz. Ainda que ande pelo vale da sombra da morte, todas as coisas cooperam para o bem dos que amam a Deus.

Lucas 1.78-79 – graças à entranhável misericórdia de nosso Deus, pela qual nos visitará o Sol Nascente das alturas, para alumiar os que jazem nas trevas e na sombra da morte, e dirigir os nossos pés pelo caminho da paz.

O objetivo de Deus é nos levar para o caminho de paz. A paz de Deus que excede todo entendimento é a paz que Jesus nos dá, é aquela paz que Paulo sentia quando disse: “o morrer para mim é lucro”.

Malaquias 4.2 – Mas para vós outros que temeis o meu nome nascerá o Sol da Justiça, trazendo salvação nas Suas asas; saireis e saltareis como bezerros soltos da estrebaria.

Deus está dizendo através do profeta: “Eu vou dirigir vocês para o bem, ainda que em algum momento ande pelo vale da sombra da morte”. Quando passamos por dificuldades temos a visão humana que nos faz ver o sofrimento; mas aos olhos de Deus é o caminho que nos levará à paz.

Josué 1.7-9 – Tão somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares. Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido. Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o Senhor, teu Deus, é contigo por onde quer que andares.

Deus disse a Josué: A Lei está aí com você, leia, estude, medite nela dia e noite, e não cesse de falar dela o tempo todo. Mesmo meditando, conhecendo e falando, nem sempre é fácil, porque se fosse fácil não seria necessário ser forte e corajoso. Como podemos ser forte e corajoso? Com a convicção de que Deus está do nosso lado o tempo todo, por onde quer que andarmos. Meditando, conhecendo e falando da Lei, teremos o cuidado de obedecer a Lei e andaremos por caminhos menos perigosos. Deus não nos tira do mundo, o que significa que às vezes teremos de entrar em vereda perigosa com o objetivo da vontade de Deus. Paulo é exemplo disso. Quantos sofrimentos ele passou! Não foi porque desviou do caminho, mas a sua missão, a vontade de Deus, o levou para essas veredas difíceis.

A direção divina é feita por meio da Palavra. A direção de Deus tem um padrão que é bem simples; o padrão de Deus é toda a Lei. Não é a lei que nos agrada ou que nos interessa, mas toda a Lei. Além de não nos desviarmos da Lei nem para um lado nem para o outro, Deus nos dá a missão de proclamar a Sua Lei. Deus diz para inculcarmos, ou seja, gravarmos em nossa memória, a Lei de Deus. O Salmo 119 nos ensina como usar essa Lei para cumprirmos a vontade de Deus.

Fonte:

Nenhum comentário: