domingo, 11 de agosto de 2013

A LEI DOS DEZ MANDAMENTOS


Devemos acautelar-nos em não desprezar a Lei dos Dez Mandamentos. Nem por um momento suponhamos que essa lei tenha sido posta de lado pelo evangelho, ou que os crentes não tem nada a ver com ela. A vinda de Cristo em nada alterou a posição dos dez mandamentos, nem mesmo a largura de um fio de cabelo. O que ela fez foi exaltar e destacar a sua autoridade (Rm 3.31). 

A lei dos dez mandamentos é a medida eterna de Deus para o que é certo e o que é errado. 
Através da lei é que vem o pleno conhecimento do pecado. 
Pela lei é que o Espírito mostra aos homens a sua necessidade de Cristo e os leva a Ele. 

Cristo deixou ao seu povo a lei dos dez mandamentos como norma e guia para uma vida santa. Em seu devido lugar, a lei dos dez mandamentos é tão importante quanto o “glorioso evangelho”. A lei não pode nos salvar. Não podemos ser justificados por ela. Porém, nunca jamais a desprezamos. 

O menosprezo pela lei dos dez mandamentos é um sintoma de ignorância e insanidade em nossa religião. O verdadeiro crente autêntico tem “prazer na lei de Deus” (Rm 7.22).

_________________________________________________________
Extraído do Livro 
Meditações no Evangelho de Mateus de J. C. Ryle
Editora Fiel, pág. 30.

Nenhum comentário: