sexta-feira, 4 de novembro de 2011

ESTUDO Nº 06 - OS FAMINTOS E SEDENTOS POR JUSTIÇA (Mateus 5.6)




INTRODUÇÃO


Fome, todos já experimentaram alguma vez. Sede também. Deus criou alimentos e líquidos para saciar nossa fome e sede. Os efeitos da fome sobre o corpo são: fraqueza, tremedeira, desmaio. A sede ameaça a vida ainda mais rapidamente do que a fome. Contudo, fome aqui não é a fome de pão e nem sede de água – é fome e sede de justiça de Deus.


I. FOME E SEDE DE JUSTIÇA - CONCEITOS


Na linguagem figurada de Jesus, a justiça é o alimento espiritual que o cristão deseja, I Pe 2.2.
No contexto do Evangelho de Mateus “justiça” freqüentemente significa boas relações com Deus, obtidas mediante a submissão da sua vontade. E neste contexto é transparente que tal vontade implica o cumprimento da vida do reino descrita no sermão do monte. Deste modo, aqui o termo justiça aplica-se as relações tanto com as pessoas como com Deus.
Talvez esta bem-aventurança seja a mais exigente de todas. Ela me leva a perguntar a mim mesmo quão forte é o meu desejo de justiça. Quanta força de vontade eu tenho para andar nos caminhos do Senhor. Esta fome ou sede não é somente intelectual, mais uma paixão, um desejo ardente e persistente pelas coisas de Deus.
Qual a natureza desta justiça?
Esta justiça é o caráter e a conduta do crente que deve agradar a Deus. Devemos desejar ardentemente um coração que agrada a Deus. Fome e sede são sinal de saúde. Quando a gente não tem apetite é motivo de preocupação.


II. FOME E SEDE DE JUSTIÇA – SUA MANIFESTAÇÃO


Fome e sede são sinal de saúde. Quando a gente não tem apetite é motivo de preocupação. Como é triste ver em nossas igrejas uma falta de fome e sede de Deus.

1. Como se manifesta esta fome e sede de justiça?

Ela desperta um desejo ardente de conhecer os preceitos de Deus, de se aprofundar nas riquezas da Palavra de Deus, para crescer e viver cada dia para a glória de Deus, Sl 42.1-2.
Quando tenho sede e fome desta justiça, eu almejo me livrar da presença e poder do pecado. Eu vejo que o pecado é a rebelião me separam de Deus e do plano dele, Sl 63.1,5.

2. Porque muitos não sentem esta fome e sede de justiça?

Não há fome de Deus e da sua perfeição quando o amor ao mundo e aos seus deleites enchem o coração, (I Jo 2.15).

Muitos cristãos ficam tão cansados com as atividades mundanas que não tem mais fome do alimento espiritual. Tais cristãos levam mais a sério suas diversões do que a busca da justiça. 

Os prazeres e as atividades mundanas tem mais atrativo para eles do que o banquete do Senhor. Resultado – Mt 13.22.

Santo Agostinho mostrou a desgraça do homem que procura satisfação em outra fonte que não Jesus Cristo – “Ó Deus, Tu nos fizeste para Ti mesmo, e nosso coração não acha repouso até que repouse em Ti”.[1]

Portanto, a anemia, a falta de apetite e a má nutrição são sinais de apatia e de falta de interesse pela busca do Reino de Deus e da sua justiça. O médico divino recomenda a tais pacientes, I Tm 4.7-8.


III. FOME E SEDE DE JUSTIÇA – SERÃO SACIADOS

1. A conseqüência daquele que, em primeiro lugar, busca a justiça, pois tem fome e sede dela, é dupla:

a) É declarado por Jesus, como uma pessoa feliz.
É muito interessante analisar que eles não buscam a felicidade, mas a justiça e a conseqüência é que acabam sendo bem-aventurados exatamente por causa disso. A felicidade não se conquista ou se busca, mas é algo acrescentado quando não nos esquecemos da verdadeira prioridade, que é a justiça.

b) É saciado por Jesus totalmente
Jesus afirma que essas pessoas serão saciadas. Não diz que eles se saciarão, mas que “serão saciadas”. A expressão “ser saciado” significa, literalmente “ser cheio”. Havia um vazio e agora ele não existe mais. Quem deseja a justiça será cheio dela.

2. Como os bem aventurados serão saciados?
A fome e a sede de justiça podem ser saciadas pela Palavra de Deus. Em suas páginas eternas e inspiradas:
a) Deus guarda mel, Sl 19.10;
b) A Palavra é alimento, Jr 15.16.
c) A declaração de Jesus, Mt 4.4.

Quando a pessoa perde o gosto pelas sagradas letras e faltam-lhe fome e sede por este alimento divino, as conseqüências são óbvias – crentes raquíticos, carentes de vitalidade e energia para gastar no serviço do Rei Jesus. Portanto, enquanto o crente tem fome e sede, ele está constantemente sendo saciado farto. Porém, temos que afirmar que nossa fome e sede não serão totalmente saciadas nesta vida. Deus nos sacia, mas teremos fome novamente, até porque nunca seremos completamente justos, uma vez que o pecado ainda não foi extinto deste mundo.
Mas virá o tempo em que os crentes serão totalmente saciados, Ap 7.16-17.


PARA CONCLUIR:

Aquele que nasceu de novo é incentivado por Jesus a buscar não a felicidade, mas a justiça. Ser justo deve ser o maior desejo de alguém que conhece o Senhor.

Haverá um tempo em que muitos terão sedes de justiça e não terão como ser saciados, Am 8.11.

Qual tem sido o nosso maior desejo neste mundo?

Será que temos corrido e gastado nossas forças somente em buscar conforto e felicidade?
Como anda nosso apetite por justiça?

O que nos anima mais – assistir um bom filme ou show, ou participar de um culto ao Senhor?
Gastamos mais tempo com a televisão do que com a leitura da bíblia?

Estas são as perguntas que realmente importam. E esta é a promessa graciosa e gloriosa para todos – “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos”, Mt 5.6.


[1] AGOSTINHO, Confissões, vol I, P. 25.


Nenhum comentário: