domingo, 16 de outubro de 2011

ESTUDO Nº 05 - OS MANSOS – UMA ATITUDE DE CORAÇÃO (Mateus 5.5)


INTRODUÇÃO


Uma das virtudes que a humanidade mais perdeu com a queda e de que mais necessita para resolver e apaziguar os seus conflitos pessoais e relacionais é a mansidão. Mas uma vez o Senhor Jesus choca os seus ouvintes, quando os mesmos o ouviram dizer, em sua terceira afirmação sobre as bem-aventuranças, que não os valentes, mas os mansos os que deveriam ser considerados felizes.


È importante perceber que as bem-aventuranças são, claramente ligadas umas as outras.


a) a primeira – os humildes – nos diz que precisamos considerar nossa debilidade e incapacidade;


b) A segunda – os que choram – afirma que a consciência disto nos leva a chorar por causa de nossos pecados e de nosso verdadeiro caráter.


c) A terceira – os mansos – nos diz que somente aquele que tem as qualidades das anteriores é que pode ser manso.

Outro fato – As duas primeiras bem-aventuranças, levam a pessoa a reconhecer a sua total dependência de Deus e buscar o consolador da sua alma – ou seja, trata-se do meu relacionamento com Deus. A terceira bem-aventurança – os mansos – trata-se do meu relacionamento com outras pessoas.

I. OS MANSOS – CONCEITOS E SIGNIFICADOS


1. O que não significa ser manso - É fácil compreender erroneamente a mansidão. Algumas pessoas acham que ser manso é o homem que não possui convicções firmes, que não toma posição em favor de nenhuma causa. Vejamos:


a) Ser manso não significa covarde - Covarde é aquele que deixa de agir motivado pelo medo, e não por autocontrole. Os covardes sequer entrarão no céu, Ap 21.8.

b) Ser manso não significa ter um temperamento calmo - Há muitas pessoas que são calmas por natureza.


c) Ser manso não significa ter personalidade débil - Há pessoas que estão sempre dispostas a abrir mão de suas convicções, opiniões, crenças, apenas para não criar problemas com outros. Debilidade de caráter, definitivamente, não significa ser manso.

2. O que realmente significa ser manso - Na língua portuguesa, e no conceito brasileiro, esta qualidade não uma boa virtude. No original, manso (praús = suave , gentil) é uma palavra usada para descrever um animal que domesticado e treinado a obedecer ao comando do seu mestre. Portanto, ser manso... 


a) Significa aquele que entende realmente qual é a sua posição - O mundo nos oferece ocasiões para perder o controle a todo instante, pois freqüentemente as pessoas tentam usurpar nossos direitos. Pela fé o crente não fica preocupado com sua posição, com seu orgulho, com seu direito de resposta. Ele sabe como e quando parar, pela graça. Prefere sofrer a injustiça a cometê-la. O mundo diz que devemos defender nossos direitos. O manso, porém, não exige a sua própria vontade, nem os seus próprios direitos. Ele está disposto à entregar o seu caso a Deus, que julga retamente, Rm 12.19-21. 


Jesus foi manso, o moderado por excelência. Isto não significa que ele nunca tenha se irado. Certamente ele se irou, mas no momento certo, na ocasião propícia, e sempre por um motivo justo, Is 53.7. 


Paul Earnhart escreveu – “Mansidão não é fraqueza... aquele que tinha 72 mil anjos sob seu comando (Mt 26.5) descreveu-se como ‘manso e humilde de coração’, Mt 11.29”.[1]

b) Significa alguém que demonstra autocontrole. - No conceito de Jesus, manso é alguém cujo intimo é dominado pelo Espírito de Deus, capaz de vencer o ressentimento e o rancor.
Isto significa que manso é o crente que tem todo o impulso e toda paixão natural sob seu controle e sabe quando deve e não deve irar-se.

Jaime Kemp escreveu – “O indivíduo manso não se zanga por insultos ou injúrias dirigidas contra ele, mas pode ficar muito zangado quando há insultos e injúrias dirigidas contra seu Rei e seu Reino”.[2]

Esta mansidão se demonstra nas relações com as pessoas que Deus coloca em nosso caminho e as circunstância da vida. Pois a mansidão tem a ver com fortaleza. Somente alguém forte consegue ter autocontrole a ponto de não revidar quando ultrajado. Isto está em perfeita harmonia com o ensino de Jesus, Mt 5.39-48.

Aristóteles, o grego, ensinou: “Homem forte não é aquele que controla os outros, mas aquele que controla a si mesmo” , Pv 16.32.

c) Significa alguém que não visa seus próprios interesses, e sim, do outro - Aquele que tem esta característica não fica zangado quando alguém usa e abusa do que lhe pertence. Podemos notar este espírito nos grandes homens de Deus: Abraão, Gn 13.8-11; José Gn 50.19-20; Davi, I Sm 24.12-15.

II. OS MANSOS – SEU GALARDÃO.


O salmista Davi afirma – “Mas os mansos herdarão a terra e se deleitarão na abundância de paz”, Sl 37.11.  É interessante notar que há muitos que estão pensando conquistar um pedaço de terra, contudo, os mansos não conquistarão, e sim, herdarão. 

Mas que terra é esta que somente os mansos herdarão? A referência aqui não é terras físicas que passariam aos mansos nesta vida no sentido literal. Vejamos a declaração do apóstolo Pedro, II Pe 3.13. 


A terra já tem um dono, Sl 24.1. E esta terra ela dará como herança aos que ele determinou. Naquele dia, quando o Senhor completar sua obra, e o novo céu e a nova terra forem criados, somente seus filhos poderão desfrutar das bênçãos e do domínio do novo lar.

Para Concluir


Somente os mansos, os que sempre confiaram e esperaram em Jesus, herdarão o novo céu e a nova terra e todo o universo renovado, do qual toda a maneira de pecado e rastro de maldição foram apagados.
Como diz o hino “não é dos fortes a vitória, nem dos que correm melhor, mas dos fiéis e sinceros que seguem junto ao Senhor”.[3]




[1] EARNHART, O Sermão da Montanha, p.11.
[2] KEMP, A verdadeira Felicidade, p.22-23.
[3] CROSBY e GINSBURG, Sempre vencendo, hino 49, Novo Cântico.



Um comentário:

Blog | Antigas Verdades disse...

Este bom artigo me fez pensar no seguinte:

Numa sociedade em que pensa, respira e circula pela globalização a piedade e mansidão parecem ser obras de Gandhi ou Betinho de souza porque suas benfeitorias e manifestações pacíficas foram tão manifestas em seu tempo que nem se quer se dão conta de que esta passa de largo nos valos de mansidão que sugerem submissão (estar debaixo de uma missão).

Os irmãos Moravianos entenderem bem o que é realmente ser manso no sentido de compreenderem que havia neles uma chamado específico quando se vendiam como escravos não para propor seus ideias, mas para a Glória do Reino. Seu lema: "que o o Cordeiro receba a recompensa do seu sofrimento" e para eles se entregarem como escravos para pregar a escravos era sua libação e compreensão coerente e vocacional para a mansidão.