quarta-feira, 7 de setembro de 2011

ESTUDO Nº 01 - INTRODUÇÃO AO SERMÃO DO MONTE (Mateus 5.1-2)



INTRODUÇÃO

No Evangelho de São Mateus, a partir do cap. 5, encontramos as palavras do Senhor Jesus, fazendo uma exposição da constituição do Reino de Deus, o qual se estende por três capítulos 
(5 ao 7). Lendo e estudando este texto podemos chegar a mesma conclusão que os soldados tiveram quando ouviram as suas palavras – “Jamais alguém falou como este homem”, Jo 7.46.

I. O QUE É SERMÃO DO MONTE?

O evangelista Mateus fez uma exposição do ministério de Jesus, Mt 4.23. O destaque neste texto é que o Senhor Jesus pregava o “evangelho do reino”.

Portanto, Jesus anuncia o “a chegada do Reino, anuncia também o espírito que orienta e os princípios que caracterizam o novo estilo de vida própria dos participantes do novo reino. O Sermão do Monte é um resumo básico da maneira em que a vida se ordena no Reino de Deus”.[1]

II. O SEU REAL SIGNIFICADO

1. É o evangelho do Reino de Deus

Evangelho é boa nova de salvação eterna, e Reino indica o reinado de Deus no coração e vida do povo do pacto da graça. O Sermão do Monte revela que esse povo existe e vive dentro da vontade soberana do Deus que domina seus corações.

2. É a expressão do amor de Deus

O conteúdo do Sermão do Monte revela a vontade amorosa, pois Deus deseja que seus súditos sejam perfeitos. Através desse sermão percebemos que Jesus nos diz que esse é o único caminho da felicidade humana – “bem aventurados”.

III. QUEM PODE PRATICÁ-LO?

Este sermão foi pronunciado visando ao mundo inteiro? Ele é destinando a todas as classes e a todas as nações? O descrente pode praticá-lo? Deus espera isso ou exige isso dele? Ou ele é destinando a uma só classe de pessoas? Só pode praticar o Sermão do Monte:

1. Quem já nasceu de novo, Jo 3.3

Somente a pessoa, em cujo coração o Espírito Santo plantou a semente do amor a Deus, pode sentir prazer em ler, meditar e querer viver de acordo com este ensinamento de Jesus, Sl 1.1-2,4.

Um coração não regenerado, que não recebe luz do alto, não iria querer viver segundo o padrão do Sermão do Monte, I Co 2.14.

2. Quem é capacitado pelo Espírito Santo

O homem natural é incapaz de agradar a Deus. Somente  aquele que agora é habitação do Espírito pode encarar este Sermão e praticá-lo infinitamente, II Co 3.5; Fp 4.13.

O cristão genuíno tem condição infinita de viver o padrão divino de vida. Não existe limite no conteúdo do Sermão do Monte e nem na possibilidade de o cristão praticá-lo, pois a capacidade que o Espírito lhe concede é sem fronteiras, I Co 2.15-16.

3. Quem está disposto a esforçar-se.

Para se praticar o Sermão do Monte é preciso muito esforço e boa vontade, Mt 11.12; Lc 13.24; Rm 12.17; Ef 4.3. 

O Cristianismo é a religião do esforço abençoado. O Sermão do Monte só pode ser vivido por aqueles que se esforçam, olhando para o alto, lutando contra sua natureza rebelde, imitando dia a dia o caráter de seu divino Mestre.

PARA CONCLUIR:

O Sermão do Monte nos coloca sob requisitos morais, éticos, e outras exigências pessoais, que são absolutos e finais. Deus nos propõe, uma justiça que exceda à dos escribas e fariseus (Mt 5.20). O sermão do Monte exclui o orgulho, a superficialidade, o engano do legalismo, e também a irresponsabilidade moral e ética.

Robert H. Mounce escreveu: “É verdade que as exigências estão definidas em termos absolutos – Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste” (Mt 5.48).[2]

Ministrado na Igreja Presbiteriana de Salgado de São Félix (Paraíba)
[1] MOUNCE, Mateus: Novo Comentário Bíblico Contemporâneo, p. 48.
[2] DRIVER, Ouça Jesus, p.37-38.

Um comentário:

Natanael Tussini disse...

Depois do irmão passar no meu blog e citar que também estava estudando o Sermão do Monte e aplicando em sua congregação passei por aqui para dar uma olhada naquilo que você publicou. Comecei nessa semana a estudar esse sermão com a igreja e portanto espero poder trocar informações com o irmão.