sábado, 2 de julho de 2011

TENTAÇÃO NÃO É PECADO (Hb 4.15)



"Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer das nossas fraquezas antes foi Ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado" Hb 4.15.

Segundo as Escrituras Sagradas não há pecado em sermos tentados. A tentação não nos leva a pecar. A Palavra de Deus afirma que devemos ter grande gozo por sofrermos as tentações - "Meus irmãos tende grande gozo quando cairdes em várias tentações”, Tg 1.2.

A tentação tem como objetivo a provação de nossa fé. Segundo a leitura do texto anteriormente citado, Tiago continua dizendo: "Sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve Ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes”, Tg 1.3-4.

Billy Sunday afirmou que: "A tentação é a matéria prima com que são feitos os cristãos. Se o diabo nunca lhe tentar, você jamais poderá desenvolver uma resistência ao pecado". Muitos pensam que o isolamento ou a solidão impediriam os ataques da tentação. O Senhor Jesus foi tentado o deserto. Nem mesmo o jejum e a oração afastam sempre o tentador, pois Jesus havia utilizado amplamente desses elementos. 

Vendo o caso da tentação de Jesus no capítulo 4 do livro de Mateus, observamos Satanás introduzindo a tentação através de uma dúvida com relação à filiação divina do Mestre – “Então o tentador, aproximando-se, lhe disse: Se tu és Filho de Deus...”, Mt 4.3. 

O ataque aconteceu com um "se" e não com uma negação direta. "A dúvida presta-se mais ao propósito satânico do que a heresia". Satanás pôs em dúvida a afirmação bíblica: "Tu és o meu Filho...” Sl 2.7.

Segundo Spurgeon, Satanás colocou em dúvida toda uma vida. Desde o começo Jesus estivera empenhado nos negócios de Seu pai; entretanto, depois de trinta anos a Sua divina filiação foi posta em dúvida. O tentador sempre está atirando um "se" contra nós. No caso de Jesus, ele atacou a Sua filiação divina.  Em nosso caso, ele nos faz duvidar de nossa regeneração. Somos constantemente bombardeados pelo "se" satânico.

Por exemplo:
a) Muitas vezes podemos nos sentir solitários e o tentador rapidamente nos diz: "Se você é filho de Deus por que se sente abandonado?"
b) É possível que estejamos prostrados num deserto. A sugestão satânica para pensarmos é a seguinte: - Como herdeiro de Deus pode estar num lugar como este?
c) Muitos irmãos podem temporariamente sofrer algum tipo de privação em suas vidas. Prontamente o tentador dirá: - Como poderia um Pai amoroso deixar com fome um filho seu?

E de muitas outras maneiras Satanás ataca os filhos de Deus. Ele sempre tem preparado em suas mãos o terrível míssil da duvida, mais conhecido como "se".

I. Como podemos ter vitória diante destes terríveis ataques malignos?

Precisamos novamente olhar para o caso de Jesus. A consolidação da vitória do Senhor não se deu através de argumento ou de demonstração de poder. Jesus triunfou através de Sua firmeza nos registros das Escrituras Sagradas. Todos os ataques satânicos contra Jesus forma torpedeados e destruídos pela palavra de Deus. A Bíblia é a única e a mais poderosa arma que os filhos de Deus tem para se defenderem contra os ataques malignos da dúvida.

Charles Spurgeon disse que: "Quando vencido, o "se" do tentador torna-se útil. Quando vem de Satanás, é uma certidão de nossa autêntica descendência divina. Satanás só põe em dúvida a verdade; portanto somos filhos verdadeiros."

Thomas Brooks demonstrou muita percepção deste assunto quando escreveu: "Deus teve apenas um Filho sem corrupção, mas não teve nenhum sem tentação. De tal sorte é a inimizade de Satanás para com Deus Pai que, quanto mais próximo e querido lhe for qualquer filho, tanto mais Satanás perturbará e atormentará a este com tentações. Ninguém foi tão bem amado quanto Cristo; e ninguém foi tão tentado quanto Ele.

Não há como vivermos neste mundo isento de tentações. Podemos afirmar que o verdadeiro cristianismo está cercado delas por todos os lados.

A Bíblia fiz que nós devemos nos regozijar ao sofrermos tentações. Lemos em Tiago 1:12: "Bem-aventurado o homem que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam”.

II. Qual a origem da tentação?

Algo importante para compreendermos a respeito da tentação, é que ela tem a sua origem em Satanás e na fraqueza humana.

a) Satanás - No livro de Lucas 4:13 está escrito: "E, acabando o Diabo toda a tentação, ausentou-se Dele por algum tempo.”
b) Fraqueza humana - O apóstolo Paulo mostra que a tentação também pode Ter a sua origem na fraqueza humana. Em I Coríntios 10:13 lemos assim: "Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que possais suportar”.

Tiago esclareceu bem este assunto quando disse: "Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela própria concupiscência”. Tiago 1:13-14.

III. A tentação nos aproxima de Deus

Nunca podemos perder de vista que a tentação que recai sobre o filho de Deus sempre contribui para o seu crescimento espiritual. O lugar mais ideal para nos conhecermos melhor é a fornalha da tentação.

Thomas a Kempis escreveu: "O fogo prova o ferro; a tentação, o justo. Ignoramos muitas vezes o que valemos. A tentação faz-nos ver o que somos”. Devemos ter gravado em nossos corações que cada tentação pode se constituir uma ótima oportunidade para ficarmos mais perto do nosso Deus. A comunhão com o nosso Deus é o santo remédio que todo filho de Deus tem para vencer todas as tentações. 



Nenhum comentário: