domingo, 2 de setembro de 2007

LUXÚRIA – O PECADO DO EXCESSO, Marcos 7.16-23

O termo luxúria é uma palavra com muitos sinônimos que descrevem um mesmo e velho pecado.

Para início, busquemos definições técnicas e teológicas para três palavras que estão relacionadas:
Luxúria – incontinência, dissolução e corrupção;
Lascívia – sensualidade;
Libertinagem – devassidão.

O termo libertinagem é explicado da seguinte maneira. Em Nota de estudo da NVI diz: “Ato de viver somente para o prazer próprio, de esbanjar a vida em prazeres tolos e perversos”.

I BREVE ANÁLISE DE TEXTOS CORRELATOS

1. Nas variadas versões da bíblia , há textos onde a mesma palavra foi traduzida para o nosso idioma com uma ou outra dessas palavras acima. Como por exemplo: “Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia...” – Gálatas 1.19.

W. Hendriksen comentando este texto, afirma que os três vícios mencionados: prostituição, impureza e lascívia – “tem um significado distinto, contudo, os três vícios têm algo em comum, a saber, um desvio da vontade de Deus quanto ao sexo”.

2. O texto de Marcos 7.21 (versão atualizada) o termo luxúria é traduzido por “adultério”. E ainda o texto de Mateus 5.28 (versão atualizada) o termo luxúria foi traduzido por “intenção impura”.

3. Em I Coríntios 6.18, está escrito: “Fugi da impureza. Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo”.

O imperativo presente indica a ação habitual - “fazei vosso hábito fugir”.

Para o apóstolo Paulo, a luxúria, fere as próprias raízes da constituição essencial do ser homem – “Os alimentos são para o estômago, e o estômago, para os alimentos; mas Deus destruirá tanto estes como aquele. Porém o corpo não é para a impureza, mas, para o Senhor, e o Senhor, para o corpo” – I Coríntios 6.13.

II. LUXÚRIA – CONCEITOS DO TERMO

O Dicionário de Teologia da ASTE, assim define a luxúria: “Este vicio é conhecido pela necessidade da pessoa em manter diversas relações sexuais, as vezes com diversos parceiros, e com todo tipo de variedade possível. A luxúria é a corrupção de um ato sublime. Faz frente a lealdade, pois o luxurio trai sua mente (intenção impura), trai seu cônjuge. Não ceder a luxúria (fugi...) é provar sua firmeza de caráter, seu domínio sobre seus desejos mais fortes e apelativos, uma prova de autocontrole” (Dicionário da ASTE, pág 1324).

Aprofundando este tema em nosso contexto, como lidar com isso?

Vivemos numa época de banalização do sexo. Todo tipo de impureza se intensifica a cada dia. Tudo começou com uma “amizade colorida”, depois veio o “ficar” e por último “casamento de homossexual”.

O apelo sexual da propaganda e publicidade é algo que incomoda

A multiplicação de motéis é estarrecedor

As revistas, as músicas, os programas de TV, de modo geral, sempre trazem um forte apelo sexual.

III. LUXÚRIA – UM MUNDO EM BUSCA DO PRAZER

A luxúria é o abuso do sexo, quando não se contem e não se controla, mas se corrompe e vive dissolutamente. Em um mundo que se busca sempre o prazer, observa-se três práticas:

1. A prática do individualismo

O sexo se torna uma forma de satisfazer os apetites de uma única pessoa. Não há uma preocupação mínima com a outra pessoa.

É como escreveu a profª Maria Clara Luchetti (doutora em teologia) – “Na luxúria o uso do outro é desordenado, e tenta-se colocar o outro a serviço de seu prazer e deleite. Vai-se em busca do próprio gozo e das próprias sensações e não se cuida do prazer do outro, do desejo de outro. Desta relação não brota, pois, a comunhão e muita menos a fecundidade. ´w um caminho que conduz a morte e não há vida. Seu fruto é amargo é o deserto, o vazio” (Pecados, pág. 121).

A bíblia tanto mostra como individualismo e a comunhão se manifesta através do sexo:

O individualismo – “Mas, antes que se deitassem, os homens daquela cidade cercaram a casa, os homens de Sodoma, tanto os moços como os velhos, sim, todo o povo de todos os lados; e chamaram por Ló e lhe disseram: Onde estão os homens que, à noitinha, entraram em tua casa? Traze-os fora a nós para que abusemos deles”. – Gênesis 19.4-5.

A comunhão – “Quanto ao que me escrevestes, é bom que o homem não toque em mulher; mas, por causa da impureza, cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma, o seu próprio marido. O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido. A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher. Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e, novamente, vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência”. – I Coríntios 7.1-5.

2. A prática da multiplicação das relações sexuais

É como se muito sexo com muitas pessoas diferentes capacitasse o ser humano a tornar-se melhor; como se o homem fosse mais masculino e a mulher mais feminina com a multiplicação das relações sexuais.

A bíblia afirma que a multiplicação das relações sexuais é algo que causa a desonra do ser humano: “Por isso, Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seu próprio coração, para desonrarem o seu corpo entre si”. – Romanos 1.24

3. A prática sexual insaciável

Vivemos em um mundo que sofre de hipersexualidade. O ser humano nunca se contém, nunca está satisfeito e pensa no sexo como se o mesmo fosse capaz de lhe trazer respostas e dignidade.

Aqui entra a compulsão sexual – “Uma necessidade irrefreável de sexo que faz com que o indivíduo perca o controle sobre o próprio desejo” (Revista TUDO, de 09/08/2002).

O Prof. Silvio José Pilon (psicólogo) diz: “As pessoas estão fazendo muito sexo, mas continua infelizes” (Revista TUDO, 30/08/2002).

IV. COMO O CRISTÃO DEVE SE COMPORTAR DIANTE DA LUXÚRIA

1. “Fugi da impureza. Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo”. – I Coríntios 6.18

O verbo “fugir” aqui, não é sinal de covardia. Neste tipo de confronto, a fuga não representa perda, e sim, ganho – observar o comportamento de José, diante da luxúria.

2. “Não porei coisa injusta diante dos meus olhos; aborreço o proceder dos que se desviam; nada disto se me pegará”. – Salmo 101.3

Os vídeos e cinemas eróticos, revistas, os trajes indecentes e outros, fomentam e propiciam toda sorte de tentação e luxúria.
“... e, como Sodoma, publicam o seu pecado e não o encobrem. Ai da sua alma! Porque fazem mal a si mesmos” – Isaías 3.9

Há importância fundamental na nossa espiritualidade, o usar dos nossos olhos – “São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!”. – Mateus 6.22

PARA CONCLUIR

A Igreja deve ter uma clara percepção da ação divina nela e através dela, pois é a ação de Deus que nos capacita a deixar as obras da carne e produzir o fruto do Espírito.

A Igreja deve apresentar um claro ensino sobre a sexualidade, a partir da sadia doutrina do corpo humano, aprendendo com uma boa teologia bíblica evangélica, evitando que os santos cometam aberrações.

Portanto, forças para agir de modo diferente do mundo vem de Deus, não de nós mesmos.
“Porque os que se inclinam para a carne cogitam das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito. Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz. Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar. Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus. Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. Se, porém, Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito é vida, por causa da justiça. Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita” – Romanos 8.5-11.

3 comentários:

Alexandre Santos da Cunha disse...

Glórias ao ALTÍSSIMO e SOBERANO CRIADOR ...que tudo de bom verdadeiramente dá àqueles que o buscam em espírito e em verdade !!!

Alexandre Santos da Cunha disse...

Glórias ao ALTÍSSIMO e SOBERANO CRIADOR ...que tudo de bom verdadeiramente dá àqueles que o buscam em espírito e em verdade !!!

Ricardo Fernandes disse...

Muito bom, aprendi muito com esse artigo, temos que compartilhar para que outras pessoas se sinta informada e lute com seu aprendizado com essas palavras de Deus.