quarta-feira, 28 de março de 2007

As Tempestades da Vida


Quantas vezes na nossa vida parece estar tudo indo muito bem, os ventos da bonança soprando sobre nossa vida, conduzindo nosso barco de maneira serena, e de repente tudo muda, as nuvens começam a ficar escuras e pesadas anunciando que uma grande tempestade se aproxima, e aí surge problemas, tais como doenças, dificuldades financeiras, quebra do relacionamento conjugal, e aí a nossa vida vira uma bagunça. Os ventos começam a soprar fortes levando para bem longe, os momentos bons de paz e harmonia, deixando os destroços de tristezas, angustia e solidão.

Quero chamar atenção, para dois textos bíblicos que irei ler neste momento.

Primeiro - no Evangelho de Mateus 8.23-24, diz: “Então, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram. E eis que sobreveio no mar uma grande tempestade, de sorte que o barco era varrido pelas ondas. Entretanto, Jesus dormia”.

Segundo texto - no mesmo Evangelho de Mateus 14.22-24 diz: “Logo a seguir, compeliu Jesus os discípulos a embarcar e passar adiante dele para o outro lado, enquanto ele despedia as multidões. E, despedidas as multidões, subiu ao monte, a fim de orar sozinho. Em caindo a tarde, lá estava ele, só. Entretanto, o barco já estava longe, a muitos estádios da terra, açoitado pelas ondas; porque o vento era contrário”.

Observamos que existem: Duas tempestades, duas situações difíceis na vida dos discípulos, dois modos no comportamento de Jesus e duas perguntas precisam ser feitas.

Primeiro - Quem causou aquelas tempestades?

Segundo - Qual era a finalidade das tempestades?

A primeira tempestade, foi causada provavelmente pelo inimigo, ou seja, o diabo, visando a destruição dos discípulos e até mesmo do Senhor Jesus.

A segunda foi causada pelo próprio Deus visando o crescimento dos seus discípulos

Outra coisa que nos chama atenção é que tanto uma, como a outra estavam no controle do Senhor Jesus

Na primeira tempestade, o texto diz, que: “Mas os discípulos vieram acordá-lo, clamando: Senhor, salva-nos! Perecemos! Perguntou-lhes, então, Jesus: Por que sois tímidos, homens de pequena fé? E, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar; e fez-se grande bonança. E maravilharam-se os homens, dizendo: Quem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem?” (Mateus 8.25-27). O Senhor Jesus sente como homem, o cansaço físico, a ponto de aparentemente dormir, mas quando as tempestades da vida vem sobre o nosso barco, Ele se levanta e repreende!

Na segunda tempestade, observamos que: “Na quarta vigília da noite, foi Jesus ter com eles, andando por sobre o mar. E os discípulos, ao verem-no andando sobre as águas, ficaram aterrados e exclamaram: É um fantasma! E, tomados de medo, gritaram. Mas Jesus imediatamente lhes disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais! Respondendo-lhe Pedro, disse: Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas. E ele disse: Vem! E Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus. Reparando, porém, na força do vento, teve medo; e, começando a submergir, gritou: Salva-me, Senhor! E, prontamente, Jesus, estendendo a mão, tomou-o e lhe disse: Homem de pequena fé, por que duvidaste? Subindo ambos para o barco, cessou o vento. E os que estavam no barco o adoraram, dizendo: Verdadeiramente és Filho de Deus!” (Mateus 14. 25-31_.

O Senhor Jesus, vai até aquele barquinho andando por cima das águas nos mostrando que, não importa o tamanho das tempestades que nos sobrevém, pois todas elas, estão debaixo dos seus pés, e Ele tem domínio sobre todas. Que Deus tremendo! Ele nos garante vitória nos piores momentos de nossa vida, basta termos um pouco de ousadia e fé. Meus irmãos e amigos, talvez neste momento, você esteja enfrentando uma grande tempestade na sua vida. O seu barco esteja no meio de um grande mar de problemas. E você esteja enfrentando a tempestade das dívidas, a tempestade de doenças, a tempestade de falta de amor e paz no seu lar.

Pois há muitos problemas que nos sobrevém como tempestades, destruindo relacionamentos, bens e outras coisas mais. E você pode estar perguntando neste momento: “Se as tempestades da vida estão todas debaixo da autoridade de Cristo, por que a minha tempestade ainda não passou? Porque parece que já estou lutando a tanto tempo e ainda não consegui enxergar a terra firme da vitória. Possuo fé, creio em Deus, mas nada muda”. Preste bem atenção meu querido ouvinte: Existe um tipo de tempestade que você entra por sua própria conta! E quando você está nesta tempestade, a única coisa que acontece é a perda. Você entendeu? A única coisa que acontece é a perda

Em Atos 27 nos conta a história de Paulo um dos maiores discípulos do Senhor Jesus, que nesta ocasião ele se encontrava preso e estava sendo levado para Roma para ser julgado, pela sua fidelidade a Deus. Paulo deveria ser levado de barco, atravessando a costa de toda a Ásia e chegando até Roma . Em determinado momento, o comandante responsável pelos presos, queria novamente entrar nas águas, e chegar finalmente à Roma e cumprir as suas obrigações, mas havia um tempo determinado para se navegar, havia os meses certos para colocar os barcos na água ,e passado esses meses seria considerado suicídio navegar. Paulo sabia disso, o texto diz no versículo 9-11, que: “Depois de muito tempo, tendo-se tornado a navegação perigosa, e já passado o tempo do Dia do Jejum, admoestava-os Paulo, dizendo-lhes: Senhores, vejo que a viagem vai ser trabalhosa, com dano e muito prejuízo, não só da carga e do navio, mas também da nossa vida. Mas o centurião dava mais crédito ao piloto e ao mestre do navio do que ao que Paulo dizia”.

Partiram, começaram a navegar e não demorou muito para perceberem que Paulo estava com a razão. Começaram a enfrentar uma grande tempestade a ponto de lançarem no mar, cargas, partes do navio, alimentos, muitas vezes terem o desejo de se lançarem no mar, até que se culminou com a perda total do navio, tiveram então que nadar em meio a tempestade, com frio, com fome, cansados, abatidos, até uma ilha chamada Malta aonde foram recolhidos por Habitantes locais colocados em volta de uma fogueira.

Muitas vezes queridos ouvintes, diante de determinadas decisões que temos tomar, não escutamos a voz de Deus, não buscamos aconselhamento, não buscamos a orientação de Deus e acontece aquilo que aconteceu com aquela embarcação. Entramos numa tempestade onde muitas vezes, a perda será total. Não medimos as conseqüências dos nossos atos, agimos com irresponsabilidade.

Muitas vezes, Deus fala ao nosso coração como Paulo falou aqueles homens. Cuidado, a navegação vai ser perigosa para a vida de vocês! É hora de parar e esperar, aguardar no meu poder, aguardar no meu tempo, o mar está bravo, espere!!!!!!

Enfrentamos tempestades de doenças, por ouvirmos a voz da auto suficiência que precisamos curtir a vida.

Enfrentamos tempestades no casamento, por querer viver de viver de forma liberal, onde não há respeito entre os casais, entre pais e filhos, e outras coisas mais.

Enfrentamos tempestades financeiras, por querermos viver de aparências, imitando os moldes da TV.

Ouvimos tantas coisas, mas não ouvimos a voz de Deus! Não ouvimos e aí quando estamos no meio da tempestade, começamos a orarmos ao nosso Deus pedindo respostas acerca do nosso problema, das nossas necessidades, choramos aos pés de Cristo, assumimos compromissos com o Pai a fim de obter uma simples palavra, palavra esta que nós cremos, irá mudar a nossa vida. Porém, por mais que a gente faça, por mais que a gente peça, parece, e eu disse parece que os céus se encontram fechados, totalmente blindados, não entra nenhuma oração e de lá não sai nenhuma resposta, até parece que o nosso Deus não quer nos ouvir e muito menos nos responder.

Mas o ser humano infelizmente é ansioso, precisamos aprender a confiar no Senhor, quantas vezes por causa da demora em sermos atendidos nós mesmos pegamos o nosso barquinho e colocamos nas águas, queremos fazer as coisas ao nosso próprio modo. Não ouvimos Deus falar: Meu filho, pare agora e espere, senão você vai entrar em uma tempestade e nesta tempestade você vai perder coisas importantes na sua vida. Preste atenção, volto a repetir, quando você entra em uma tempestade por sua conta (desobediência) você só tem a perder.

Quais as lições que aprendemos com esta história da tempestade na vida do Apóstolo Paulo?

A primeira coisa que aqueles marinheiros perderam foi a Direção!

“Entretanto, não muito depois, desencadeou-se, do lado da ilha, um tufão de vento, e, sendo o navio arrastado com violência, sem poder resistir ao vento, cessamos a manobra e nos fomos deixando levar”, Atos 27.15-17.

A tempestade provocada por um tufão, deixou o barco em que se encontrava o apóstolo Paulo sem direção. As vezes as tempestades da vida caem sobre nós com tanta força, que as vezes ficamos perdidos pela nossa própria irresponsabilidade, não sabemos o que fazer, que rumo tomar, que decisão Ter, e por mais que a gente faça não conseguimos encontrar o caminho! Há muita gente por aí, sem rumo, sem esperança, sem direção. Gente que em determinando momento da vida, apesar de toda a orientação, se meteram em grandes tempestades. Tempestades das drogas, da prostituição, do vicio. Jovens que foram orientados a evitar bebida, os vícios, a promiscuidade e hoje se encontram sem direção, em busca de uma mão amiga que os ajude a sair desta tempestade. Homens e mulheres, que se esqueceram de Deus e se deixaram levar pelas propostas perniciosas do diabo e hoje se encontra sem seus lares, sem seus filhos, sem empregos, sem direção.

A Segunda coisa que tiveram que se desfazer foi a armação do navio

“Açoitados severamente pela tormenta, no dia seguinte, já aliviavam o navio. E, ao terceiro dia, nós mesmos, com as próprias mãos, lançamos ao mar a armação do navio.”, Atos 27.18-19.

Muitas vezes quando entramos nestas tempestades, temos que abrir mão de muitas coisas, vida financeira, emprego, família, sonho, realizações, temos que jogar coisas importantes do lado de fora do navio, na tentativa de não afundar. Muitas vezes para voltemos a terra firme, e fiquemos livres das tempestades, se faz necessário abrirmos mão de algumas coisas que julgamos mais interessantes do que a paz de espírito. Pois só fazendo iremos nos salvar e salvar a outros.

A terceira coisa que perderam foi a Esperança

“E, não aparecendo, havia já alguns dias, nem sol nem estrelas, caindo sobre nós grande tempestade, dissipou-se, afinal, toda a esperança de salvamento”, At 27.20.
Os ventos tempestuosos são como ladrões que vem para nos roubar a alegria, a paz e inclusive a esperança. Permita-me fazer uma pergunta? Como está a tua esperança? Será que você ainda crê na tua cura? Será que ainda crê na transformação do teu filho, será que você crê nas portas de emprego abertas, crê ainda na tua salvação, crê ainda no teu Senhor e Salvador Jesus Cristo? Talvez meu amado ouvinte você se encontre em uma destas situações, e esteja achando que não há mais jeito, lembre-se: O Deus a quem servimos é maior do que as tempestades da vida. Jesus repreendeu o mar revoltoso em tornos dos discípulos e o mar se acalmou. Paulo junto com aquelas pessoas foram salvas pelas mãos Deus a partir do vers. 39 a bíblia nos diz que enxergaram uma ilha ,e depois que o barco a fundou nadaram até a mesma e foram salvos.

Deixe o Espírito Santo te dizer algo, ainda que você tenha perdido a direção, ainda que você tenha perdido coisas importantes da sua vida, ainda que você tenha perdido a esperança, ainda que você tenha perdido o barco, Deus te fala hoje: Se esforce, nade, vença o frio, vença o cansaço, vença o desânimo, vença hoje esta tempestade, ainda há esperança para sua vida. Deus coloca diante dos teus olhos uma ilha, um lugar seguro, um lugar de paz, aonde você vai se aquecer e fortalecer, e esta ilha se chama: Jesus!!!

Saia hoje desta tempestade!

Um comentário:

Unknown disse...

Palavra gloriosa.
Temos que a cada dia nos aperfeiçoar na palavra, pois é ela que cura, liberta e leva para o céu